LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

terça-feira, 17 de julho de 2012

Fala Cidadão. Por Vânia Carvalho.



O Granizo Que Caiu do Céu!

A natureza fala, mas a humanidade não escuta. Aí vem os desastres naturais anunciar que não tem como competir de igual pra igual quando a natureza resolve testar a concorrência. E se uma chuva de granizo serviu para transparecer o modo precário que grande parte da população de Cabo Frio vive no momento, isso só demonstra que muitas vezes os flagelos da providência se faz necessário para servir de alerta e que a necessidade de mostrar tal realidade muitas vezes é o que a natureza se cerca, para alcançar o objetivo de apreciar os resultados que proverão de tamanha provação.

Podemos julgar somente do ponto de vista pessoal aquilo que chamamos de  destruição, por causa do prejuízo que ocasionam; mas esses aborrecimentos são, na maior parte das vezes, necessários para fazer chegar mais rapidamente a uma ordem de coisas melhores.

E aqueles que foram de uma forma indireta portadores do sofrimento de tais pessoas, por conta do descaso e da indiferença, certamente pagarão pelo feito, ou melhor, certamente pagarão por aquilo que deixaram de fazer de benefício para essa população tão carente, que todos nós  como sociedade tivemos que conhecer por conta do "bendito" granizo que caiu do céu.

Pode parecer até um tanto quanto sádico chamar de bendito um fenômeno que causou tanto sofrimento, mas se não fosse por ele, não saberíamos quantas pessoas vivem em condições sub-humanas, por falta de políticas públicas que favorecessem a questão habitacional de nosso município. Foi preciso que uma tempestade violenta caísse, para que alertasse os moradores de dentro de suas coberturas:

Olha! Aqui tem gente vivendo debaixo de um teto de telha, de lona, de papelão! Em casas totalmente desprovidas de segurança e moradias totalmente precárias!

O que podemos dizer quando a negligência de um governante torna visível sua péssima administração, a ponto de uma tempestade expor o quanto  a população de Cabo Frio está totalmente desamparada? Há os que não acreditam que a providência divina  nada teve haver com isso, e que a chuva de pedra não passou de um simples fenômeno natural, há quem diga que isso foi uma   mera tempestade, mas se formos buscar os exemplos de tantas outras calamidades, cujos governos também tiveram de forma direta ou indireta a culpa de tantos sofrimentos,  Cabo Frio sofreu pela indiferença e o descaso, assim como no caso do Morro do Bumba, em Niterói, assim como no caso de Friburgo,  e tantos outros municípios que foram atingidos por flagelos naturais e  mostraram  que a incompetência administrativa, pode transparecer , quando a natureza resolve dar o alerta, mesmo que seja da pior maneira.

Sofre o pobre, o carente, aquele que tem menos condições, seria isso um castigo? Deus estaria punindo os mais fracos, pela indiferença do mais forte? Com certeza não! Porque calamidades são provas que proporcionam ao homem a ocasião de exercitar sua inteligência, mostrar sua paciência e sua resignação e até mesmo multiplicarem neles os sentimentos de abnegação, de desinteresse e de amor ao próximo.

Que o novo governante saiba aprender com esta lição o sentido de  não ser dominado pelo egoísmo. Pois não podemos nos livrar dos fenômenos naturais, mas podemos nos livrar dos maus representantes do povo.

0 comentários:

- |