LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

terça-feira, 24 de julho de 2012

Passando a Limpo. Por Charles Domingues.



PRAÇA DAS ÁGUAS A LIMPEZA DE UM LAGO EUTROFIZADO

Caros leitores, desde janeiro de 2012, venho acompanhando a situação da praça das águas, e talvez para a surpresa de toda a cidade, incluindo a minha, podemos presenciar a limpeza do lago artificial e me parece que em caráter emergencial, haja vista as condições apresentadas no local quando da execução dos procedimentos.

A praça das águas e um sistema fechado, semi-aberto com recirculação de água, ao contrário de lagoas naturais com rios fluindo através delas. Esse sistema necessita receber tratamentos específicos, para que esse tipo de água não chegue ao estado que todos nós tivemos a oportunidade de ver. Um lago artificial dessa magnitude depende de filtração biológica para purificar a água, aeradores para oxigenação ( precisamos ver se a aeração dos chafarizes são capazes de realizar a oxigenação da água),  também é preciso deixar claro para os gestores que sempre estarão  sujeitas à sazonalidade, assim como deve ser monitorado, pois existem visitantes ao redor e além de questões de segurança, se faz necessário dosar a alimentação para os peixes dentre outras varias ações.

O aumento de nutrientes na água (Principalmente Nitrogênio e Fósforos), de forma natural ou artificial, cientificamente é chamado de eutrofização, daí a minha colocação de que o lago esta eutrofizado, esse fenômeno pode ocorrer em vários ecossistemas aquáticos.

Visando validar a informação trago uma definição utilizada por ESTEVES (1988), “O processo de eutrofização é desencadeado principalmente pelo excesso de nutrientes na água (nitrogênio e fósforo)”.

Trata-se de um inconveniente que ocorre devido as algas ficarem em suspensão na água. Estas se proliferam por encontrar nessa água um ambiente propício, devido à presença de nutrientes e luminosidade. Portanto essa explosão de algas muito provavelmente se deve aos nutrientes mais importantes neste ciclo que são o nitrogênio e o fósforo. Mas de onde vem essa quantidade excessiva de nutrientes?

Vem de uma serie de equívocos no processo de tratamento utilizado na praça das águas.

Caro leitor a grande quantidade de nutrientes e a pouca profundidade dos tanques, proporcionaram boas condições para a proliferação dessas algas, como o sistema é acumulativo, esse processo foi catalisado pelo descontrole total no emprego de rações não consumidas, aliada a não remoção do lodo acumulado no fundo da lagoa (pude constatar in loco uma camada muito densa desse sedimento), somasse a todos esses fatores o descontrole da qualidade da água sob aspecto físico químico, na verdade alertamos para esses equívocos desde janeiro de 2012.

Eu acredito que para se agregar valor, precisamos apontar os problemas e indicar soluções e vamos tentar através da audiência desse Blog fazer com que alguns procedimentos cheguem as pessoas responsáveis pela gestão publica, pois creio que se tivessem  tais soluções não estariam utilizando a ultima alternativa possível, que é o esgotamento do lago e remoção dos peixes, senão vejamos:

Aumentar o número de plantas que absorvem os nutrientes que alimentariam as algas em suspensão e ainda proporcionam sombra ao ambiente;
Redimensionar o filtro mecânico “não sei se existe no projeto ”

Adequar a quantidade de peixes ao tamanho do lago;

Alimentar de maneira controlada e com ração de qualidade. Considerando o sistema digestivo dos peixes, (consultar um Biólogo especialista), alimentar em quantidades que possam ser consumidas rapidamente, sem sobras;

Aumentar as trocas parciais da água para eliminar altos índices de amônia, nitritos, nitratos, etc.(Precisa ser previamente calculada visando evitar perdas desnecessárias de água);

Proteger o lago ornamental da queda de folhas;

Verificar a potência do filtro UV, e se o tempo em que fica ligado é suficiente, caso não exista instalado, providenciar o mais rápido possível, visando remoção de sólidos suspensos e desinfecção da água, haja vista ser um sistema semi-aberto com retorno como mencionei anteriormente.

Caso contrário, o circuito voltara a apresentar excesso de matéria orgânica, que possivelmente servirá como nutriente para a proliferação de novas algas e com isso grandes variações nos níveis de amônia, nitrito, oxigênio e pH. Estas alterações podem gerar grande estresse nos peixes, tornando-os mais suscetíveis às doenças.

Vejam que Todos estes fatores podem ser controlados com correções simples. Porem alguns critérios parece que ficaram um tanto quanto desconhecidos vamos a eles:

Os peixes serão doados? Se vão quais os critérios de avaliação serão utilizados?

O que farão a partir de agora, deixaram o lago eutrofizar novamente e somente ai ira realizar oura ação corretiva?

Os profissionais que realizaram os serviços estavam totalmente sem proteção, ou seja, olhos, boca, nariz, rosto, pele totalmente expostas sem a mínima preocupação com relação a utilização  de EPI’s (Equipamento de proteção individual).

Qual foi o destino dado ao resíduo removido, haja vista estar rico em nutrientes?

E por fim qual foi a classificação dada ao resíduo, para que ele pudesse receber o correto destino?

Fica também a sugestão para que os gestores do município verifiquem dentre outras a Resolução CONAMA 357/2005, e vejam se a qualidade das águas do lago se apresentaram dentro dessa respectiva Conama, pois a mesma;

Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências

Menciona em seu  Art. 2o item IV - ambiente lentico: ambiente que se refere a água parada, com movimento lento ou estagnado;

E também no seu Art. 4º item V -: alínea b classe 3: águas que podem ser destinadas a harmonia paisagística.

Fica ainda a sugestão de verificar o enquadramento do lago dentro do Conama assim como avaliar as analises de água, a fim de validar a mesma dentro de parâmetros recomendados para posteriormente destinar os peixes.

Eu sou Charles Domingues
Sou Gestor Ambiental e Químico
Não deixe de acompanhar o meu blog www.charlesdomingues.blogspot.com

0 comentários:

- |