LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

CARTA ABERTA AO PRESIDENTE NACIONAL DO PROS




Por Gilmar Aguiar

CARTA ABERTA AO PRESIDENTE NACIONAL DO PROS - PARTIDO REPUBLICANO DA ORDEM SOCIAL

Caro
Sr. Eurípedes Jr.

Apresento minha carta de desligamento do partido e os motivos da minha decisão.

Primeiro:

Agindo de acordo com a sua decisão tomada no seu gabinete em Brasília, pouco antes do partido ser homologado, na presença do deputado estadual Marco Figueiredo (ex-PSC) e Jorge Azevedo, companheiro de Cabo Frio, onde o Sr informou pessoalmente (de forma veemente) ao deputado que eu já estava assumindo como Presidente do partido em Cabo Frio. Tenho agido em consonância com as orientações do partido em Brasília.

Segundo:

Logo a seguir, nos encontramos no restaurante do Congresso Nacional, no décimo andar, onde o Sr. Mais uma vez apertou minha mão e me confirmou que estávamos juntos.

Terceiro:

O sr. delegou a construção das provisórias municipais no país à equipe do Sr. Heldenks Madri, seu assessor direto, que do seu gabinete em Brasília nos falávamos duas ou três vezes por dia. Durante este período, Heldenks, autorizado pelo Sr. me pediu para construir as provisórias municipais na região e me pediu que lançasse o meu nome como candidato a deputado estadual com apoio da Coordenação Nacional de Provisórias. Enquanto isso, vários políticos do estado do Rio de Janeiro me ligavam

orientados pelo gabinete do partido em Brasília, como representante do partido no estado para construir as provisórias.

Quarto:

O resultado disso é que nós em constituímos 13 municípios e várias pessoas se desfiliaram de seus antigos partidos, abandonando, inclusive seus cargos em outras executivas para, confiando em nó, assumirem o partido. Alguns vereadores também decidiram se filiar ao PROS, tão logo o partido fosse homologado. Durante todo este tempo, jamais me apresentei como coordenado de coisa alguma, tendo o zelo de colocar cada pessoa que trazia para o partido para falar diretamente com o Heldenks por telefone. Inclusive as entrevistas que concedi a Folha dos Lagos, Folha de Notícias, Radar Público e Cartão Vermelho como presidente municipal do partido, as mesma só foram concedidas depois que solicitei autorização em Brasília e os responsáveis da mídia falaram por telefone com o gabinete a respeito do meu cargo, me resguardando assim de falsidade ideológica.

Quinto:

Após o partido ser homologado, o deputado Marco Figueiredo tentou empossar a força o vereador Emanuel Fernandes, como não conseguiu, me ligou para negociar minha destituição em prol de Emanuel. Não concordei e jamais fui procurado novamente.

Assim como nunca fui procurado por qualquer pessoa do partido que não fosse o pessoal do gabinete em Brasília, com quem eu mantinha constante contato.

Sexto:

A partir daí, com a entrada do deputado Hugo Leal (ex-PSC) no partido e com a anuência da presidência estadual, o deputado Figueiredo passou a visitar os municípios por nós instituídos informava que ele era o coordenador regional, instalando verdadeira confusão na cabeça dos vereadores que decidiram não vir mais para o partido através do nosso pessoal e sim através dele. Soube em Brasília que a informação passada a meu respeito é que eu seria oposição ao governo Alair Corrêa e o partido ficaria em melhores mãos se fosse dirigido por um vereador da base aliada.

Sétimo:

A orientação que tivemos de Brasília é que esperássemos que tudo ficaria bem, e esta orientação está sendo dada até hoje.

Portanto, enquanto respeitamos a orientação da presidência nacional. Somos desrespeitados como pessoas e como políticos por um grupo de políticos profissionais que se apoderaram do partido somente após a sua homologação. Pois o grupo do PSC na pessoa de Marcos Figueiredo tem informado aos vereadores e prefeitos da região que a coordenação regional é dele e as provisórias que instituímos com anuência e orientação do partido nacional jamais existiram.

Oitavo:

Toda essa situação prova que o partido na região está condenado a ser conduzido de forma a buscar apenas o poder pelo poder para depois negociar espaços em governos na região, sem produzir ou propor uma alternativa política para os cidadãos. Estratégia usada e abusada pelas velhas raposas da política carioca.

Nono:

Tenho compromisso com meu grupo que hoje representa provisórias em 17 municípios e estão esperando uma solução política minha para a situação constrangedora que estão passando em seus cidades. Essa responsabilidade eu divido consigo presidente, e com seu grupo em Brasília já que agi totalmente de acordo com a sua orientação.

Infelizmente o seu pedido de espera não é mais possível já que há dois meses estamos sendo atropelados por um grupo que chegou depois, chegou pronto e não pretende fazer política interna democrática partidária.

Décimo:

Confiei na sua palavra, no seu aperto de mão e no estatuto do partido que afirma que as provisórias municipais jamais sofreriam intervenção dos estados. Esta era a pedra filosofal do partido que me fez ingressar no PROS. Porém, devido a esta situação insustentável e indigna, decidi aceitar a proposta feita ao Movimento Voto Vivo, há algum tempo, de assumir a presidência nacional do Instituto Democrata que tem como objetivo orientar a ideologia e coordenar a construção nacional nos estados do Partido Democrata (não confunda com Democratas). Estarei trazendo todo o grupo neste novo projeto político.

Companheiros não se abandonam e nunca abandonarei os meus.

Sem mais
Gilmar Aguiar.

Segue abaixo o documento enviado ao Deputado Hugo Leal, presidente estadual do PROS, pelo seu gabinete em Brasília, com cópia para mim no qual estive sustentando minha convicção na minha função de presidente.

...............................................

Boa tarde nobre Deputado Hugo Leal

Conforme reunião com nosso presidente Nacional Euripedes Junior, ficando acordado que as cidades abaixo relacionadas com seus respectivos presidentes municipais, já filiados ao PROS, é de inteira responsabilidade dessa executiva Nacional , não podendo o Presidente Estadual interferir na mudança de nominata. Deixando claro que nossos representantes(Presidentes) tem a liberdade para trabalharem seus municípios, com todo apoio e segurança da Executiva Nacional, reitero que nossos candidatos a deputado estadual e federal no estado do Rio de Janeiro terão todo apoio dessas cidades abaixo, deixando bem claro, mais uma vez, que todos os municípios fechados com essa executiva Nacional não poderão ser modificadas, mantendo assim nossa palavra, compromisso e ética profissional, conforme conversa com cada um que representa o PROS nesses municípios.

Sem mais, assino embaixo.

Executiva Nacional
Lian Lucas, Helden Madri, Gilzete Nascimento.
 www.pros.org.br

CIDADE FECHADO DO RIO DE JANEIRO PELA NACIONAL.

• NILÓPLIS-RJ: PRESIDENTE :VEREADOR JORGE MOREIRA DA SILVA ( JORJÃO)
• SÃO JOÃO DE MERITI-RJ: PRESIDENTE: VEREADOR ALDINHO
• BELFORD ROXO –RJ: PRESIDENTE: JOSÉ WILSON
• CAMPOS DOS GOYTACAZES –RJ: PRESIDENTE:VEREADOR ALBERTINHO
• MESQUITA –RJ: PRESIDENTE:VEREADOR MARCELO SANTOS (BIRIBA)
• CARDOSO MOREIRA –RJ: VEREADOR SEBASTIÃO DA COSTA BASILIO
• AREAL-RJ: PRESIDENTE :VEREADOR MARQUINHOS
• Cabo frio RJ: Gilmar aguiar
• Rio das ostras RJ: Rodney ribeiro
• Búzios RJ: Rafael mika
• Arraial do cabo RJ: Davi dutra
• Trajano de moraes RJ: Eduardo Abraão
• Magé RJ: Edinho Corrêa
• São pedro da aldeia RJ: Alessandro teixeira
• Macaé RJ: Alexandre Pralon
• SAQUAREMA-RJ: PRESIDENTE: HALLE BAPTISTA DE FIGUEIREDO
• VALENÇA: FECHADO COM O PREFEITO

0 comentários:

- |