Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Entrevista com Joanna Maranhão




Destaque da natação feminina brasileira, a ex-atleta olímpica Joanna Maranhão esteve em Cabo Frio, onde participou do lançamento da campanha permanente da Secretaria da Criança e do Adolescente de Cabo Frio contra o abuso sexual de jovens.

Joanna Maranhão também é lembrada por ter tido a coragem de revelar, em entrevista de 2008, que aos nove anos foi molestada por seu próprio técnico e amigo da família.

– A prefeitura de Cabo Frio está de parabéns por lançar uma campanha permanente. O assunto não pode cair no esquecimento – disse nessa entrevista Joanna, que mantém a ONG Infância Livre.
  
PORTAL PMCF - Depois que o Senador Magno Malta colocou o tema de abuso sexual na mídia, você percebeu, como cidadã, alguma mudança no comportamento do brasileiro?

JOANNA MARANHÃO – Eu percebi que as pessoas começaram a falar sobre isso. Não era mais aquela coisa reclusa nas famílias que fingem que nada aconteceu, como eu fiz. As pessoas começaram a falar, mais ainda é pouco.

PORTAL PMCF – É um começo para alertar a sociedade?

JOANNA MARANHÃO – Isso mesmo. É o início de um movimento. É como se a gente tivesse começando a engatinhar, como uma criança recém-nascida.  A gente tem que aprender a caminhar com isso, até que a gente se torne adulto, maduro o suficiente para combater. A gente ainda é um bebezinho em relação à monstruosidade que é esse tipo de crime.

PORTAL PMCF - Você como brasileira, tendo uma experiência internacional, sabe que no Brasil tudo vira moda. Você acha que esse tema pode cair no esquecimento?

JOANNA MARANHÃO – É isso. Para que não se torne esquecimento, que não se torne uma moda, isso tem que ser permanente. A gente não pode falar só “Ah! Agora é a data do combate internacional de abuso de crianças e adolescentes”, que com certeza nesse dia as pessoas e a mídia vão falar muito sobre isso. Mas, e como fica a situação nos outros dias?

PORTAL PMCF -  Você disse que gosta da palavra “permanente”, como essa iniciativa da prefeitura de Cabo Frio. É esse o caminho?

JOANNA MARANHÃO –  Sim, para que não caia no esquecimento, que não se torne uma moda, tem que ser permanente. Vamos lembrar que a cada 15 segundos uma criança sofre abuso, por isso tem que ser uma coisa massiva, permanente, uma coisa muito forte.

PORTAL PMCF - A atitude da Secretaria da Criança e do Adolescente em manter uma campanha viva, o tempo todo, é o caminho correto?

JOANNA MARANHÃO – É louvável! É muito interessante e eu sei que vai dar certo. E espero que a campanha  se expanda mais. Quero ir a outras cidades e falar sobre isso, inteirar pessoas.

PORTAL PMCF -  O projeto tem que chegar a pessoas de outras cidades?

JOANNA MARANHÃO – Sem dúvida. A prefeitura de Cabo Frio está de parabéns. É importante que tenham muitas palestras pelo Norte e Nordeste do país. Nas cidades do interior, a questão do abuso sexual ainda é muito forte. É um trabalho muito grande, de mudança de cultura, uma coisa que talvez eu seja mais velha e que minha filha ou meu filho tenham que continuar nessa campanha para que alguma mudança de fato seja feita.

PORTAL PMCF -  Você disse que entendeu que percebeu que não tinha culpa e tinha direito. Essa é a bandeira que tem que ser levantada?

JOANNA MARANHÃO – Sim. Porque a vítima se sente culpada, suja e eu pensava que eu tinha feito alguma coisa para que ele se sentisse no direito de fazer aquilo comigo.  Que o sinal para que ele desse esse próximo passo era meu. E até eu entender que não era, foi um grande processo. Mas a gente sempre bate na mesma tecla, é a educação. A criança tem que saber até onde pode ir, o que pode ou não ser feito, e se alguma coisa for feita ela tem que contatar alguém responsável por isso.

PORTAL PMCF -  Você conhecia Cabo Frio?

JOANNA MARANHÃO – Não. Pela manhã eu dei uma corrida na praia, mas não consegui conhecer a cidade, já que tinha um compromisso aqui. Pretendo voltar com mais calma para conhecer tudo, achei a cidade muito charmosa, gostosa de andar, caminhar e parar num lugar e comer algo. O clima é muito bom. Vou voltar com certeza.

Texto: Redação da PMCF

0 comentários:

- |