Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Cabo Frio, 400 anos. Vomitando no bolo. - Por Walter Biancardine


Cabo Frio, 400 anos. Vomitando no bolo.

Deveria ser uma crônica amena, festiva pelos quatro séculos desta terra. Só que não.

Qualquer um que se dê ao trabalho de contabilizar a quantidade de manifestações públicas contra o governo municipal ocorridas nos últimos dias chegará a uma soma impressionante.

Mais impressionante ainda será se, neste total, dividirmos pelo número de reivindicações apresentadas: uma ou duas. E pior ficará se a subtrairmos da implacável realidade financeira da quebra de uma nação inteira, como seja, a falência do Brasil e seus municípios. E o resultado inevitável será o zero, quando percebermos que os personagens envolvidos – seja em greves de professores ou garis – são os mesmos, os profissionais do caos.

A conta não bate, esta é que é a verdade. Trata-se apenas de extorsão mediante chantagem. E pouco importa para o Sindicato de Bandidos que tenham de extorquir a Prefeitura ou você, caro leitor: na infame “assembleia” do SEPE, foi decidido – o programa de rádio do Ademilton divulgou – que um dos instrumentos de chantagem será NÃO DIVULGAREM OS RESULTADOS DO ANO LETIVO A MENOS QUE SEJAM PAGOS! Sim, é isso mesmo que você leu! Alunos não saberão se passaram de ano a menos que o dim-dim pingue no bolsinho do Sindicato de Bandidos!

E o próprio Ricardo Sanchez, ao vivo, ainda comentou:

- Não brinquem com os estudantes... isso vai ficar mal para vocês...

Os problemas existentes – salários que atrasam ou até eventuais erros em algum pagamento – não justificam a fúria ensandecida dos atuais sindicatos de bandidos empenhados em infernizar a vida do cabofriense. Braço armado de dois deputados oposicionistas se venderam como capangas para fazer seu trabalho sujo – verdadeiros jagunços de dois elementos que envergonham a tribuna onde pisam e desmerecem as mordomias pagas pelo povo.

Eles querem o que sabem não existir: querem um dinheiro que seus próprios chefes deputados impedem que chegue a cidade. E o dinheiro que querem, na verdade, será pago por uma das únicas cidades do estado que ainda consegue, de algum modo, honrar sua folha de pagamento.

Mas tudo é BANDEIRA POLÍTICA PARA AS ELEIÇÕES DE 2016!

ELES PEDEM, IMPLORAM DE JOELHOS UMA VIOLÊNCIA POLICIAL PARA SEREM VÍTIMAS – Ontem, a Tropa de Assalto do SEPE quis invadir o Clube Tamoyos, para destruir a entrega de títulos. É assim que se comportam mestres educadores? Não. É assim que se comportam BANDIDOS!

OS EDUCADORES DE VERDADE ESTÃO EM CASA OU NAS SALAS DE AULA E NÃO SE MISTURAM COM BADERNEIROS Á SERVIÇO DE POLÍTICOS!

E o Sindicato de Bandidos de Cabo Frio continua promovendo tumultos: no dia do aniversário da cidade, resolveram bater a porta da casa do prefeito Alair Corrêa. Tudo isso faz parte da “agenda de tumultos” aprovada pelo SEPE, conforme noticiado ontem.

Financiados pelos dois deputados estranguladores da cidade, os manifestantes adotaram a tática da pressão absoluta até a exaustão, visando provocar uma reação mais violenta da Polícia Militar ou da Guarda Municipal.

O objetivo é o confronto, para que capitalizem uma possível posição de vítimas.
NENHUMA REIVINDICAÇÃO ESTÁ SENDO APRESENTADA, o ato é apenas parte da estratégia para desgastar o atual governo. E uma outra coisa, que é digna de nota: por que o Sindicato de Bandidos sempre escolhe vésperas de feriados para fazer suas manifestações e greves? Para serem vistos pelos turistas ou para pegarem carona nos “generosos” noticiários da TV aberta, que certamente cobrirá o fim de semana prolongado?

Utilizam-se de todas as táticas possíveis: da violência pura e simples, como as cenas de horror promovidas no interior da Prefeitura – crime passível de punição e processo – como uma mídia extremamente “amiga”, que abre suas portas a qualquer opositor enquanto o prefeito Alair Corrêa não pagar a “mesadinha”, costumeira nos oito anos da gestão anterior.

De reivindicações justas – reajustes, melhores condições de trabalho, ou seja, o que for – o sindicalismo cabofriense enlouqueceu, mordido pela mosca azul, e passou a exigir o poder.

Perderam a noção, o senso de medida e transformaram-se em vulgares vândalos, DESTRUINDO PATRIMÔNIO PELO QUAL NÓS PAGAMOS E, PIOR, DESTRUINDO NOSSA LIBERDADE DE IR E VIR, NOSSA PAZ E SEGURANÇA NAS RUAS!

Reivindicar é um direito e as greves também o são, mas todos os cidadãos pensantes de Cabo Frio já perceberam a fraude sindical de vocês, que pecam pelo excesso e se alimentam da cega ambição do poder.

E o que seria uma data festiva para todos nós, transformou-se em apenas uma amarga sequência de badernas, promovidas por gente que só enxerga seu próprio umbigo.


Na festa de aniversário de Cabo Frio, o Sindicato de Bandidos vomitou em nosso bolo.

0 comentários:

- |