Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

quinta-feira, 30 de março de 2017

Bastidores da Política e da Imprensa - "Deu Ruim" na ALERJ e no TCE


Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou na madrugada de ontem (29/03), a Operação "O Quinto do Ouro", que investiga um esquema de pagamentos de propina oriunda de dinheiro desviado de contratos com órgãos públicos para agentes do Estado.

06:00 da madruga

Entre os alvos está o presidente da ALERJ, Jorge Picciani (PMDB), que foi acordado as 06h da manhã em sua casa por agentes da Polícia Federal, que foram cumprir mandado de condução coercitiva, esse mandato obriga por "prisão" temporária de algumas horas o indiciado ir depor na sede da Polícia Federal, que no Rio de Janeiro fica na Praça Mauá, região portuária.

Não foi só Picciani

Não só o Picciani teve que se entender com a Polícia Federal e a Justiça Federal, cinco conselheiros do TCE-RJ (Tribunal de Contas do Estado) são alvos de mandados de prisão temporária, com prazo inicial de cinco dias, que podem ser prorrogados.

São eles

Aloysio Neves, atual presidente do TCE-RJ, o ex-deputado Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio Alencar e José Maurício Nolasco, por volta das 15h todos já estavam guardados nas celas da Polícia Federal.

Ex também

Também está preso temporariamente o ex-conselheiro, Aloísio Gama. Na verdade o Picciani só não está fazendo companhia (ainda) aos detentos por ser Presidente da ALERJ.

Gabinete

Nem o gabinete do Presidente da ALERJ, Jorge Picciani (PMDB), escapou da Polícia Federal, o gabinete sofreu uma devassa, foi pente fino, algo inédito na ALERJ.

Dedo duro

As investigações tiveram origem em uma delação premiada realizada entre dois investigados e a PGR (Procuradoria Geral da República), uma delas envolve o também conselheiro Jonas Lopes de Carvalho, que é ex-presidente do TCE-RJ e denunciou um esquema de arrecadação de propina no órgão.

Coincidente Mudança

Enquanto o Presidente da ALERJ, Jorge Picciani (PMDB), e a cúpula do TCE estavam dando uma volta desagradável na Polícia Federal o deputado estadual Paulo Melo (PMDB), ex-presidente da ALERJ e ex-homem forte de Sérgio Cabral (PMDB), fazia uma coincidente mudança de endereço.

Coincidente Mudança 2


Quem acompanhou a mudança disse que foi uma operação "A Jato", era um tal de desce documento, computadores, pastas... Mas é claro o deputado Paulo Melo já havia programado essa pequena mudança há meses.

0 comentários:

- |