Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

terça-feira, 21 de março de 2017

Novela "A Saga da Jeitosinha" de James Santos - Capítulo 10 "Mistério na Casa de Jeitosinha"


Narrador - Naquela manhã de Segunda, a mãe e os sete irmãos  sentaram-se juntos para o café, na longa mesa da  copa. Era tradicionalmente o momento em que a família  colocava seus assuntos em dia.

Mas um  silêncio incômodo pairava no ar. Jeitosinha  sondou cada rosto, buscando em algum deles um sinal que indicasse quem escondeu o corpo de Ambrósio. É claro que o pai não retornara da pescaria na noite anterior. Mas porque ninguém parecia  se importar com o fato?

Disfarçando o nervosismo, a moça arriscou perguntar à mãe:

Jeitosinha - O papai não voltaria ontem?

Marilena -  Sim, querida.  Mas ele ligou dizendo  que uma ponte caiu e que eles estão isolados na  vila onde foram pescar.

Jeitosinha - Era a voz dele,  mãe? Tem certeza?

Marilena - Que pergunta... Claro,  minha filha. A ligação estava ruim, mal escutei o que ele dizia. Mas quem mais poderia ser?

Narrador - Arlindo, o ciumento irmão mais velho, esboçou um  sorriso enigmático,que Jeitosinha rapidamente captou  como um indício de culpa.

 "Sim! Arlindo! Só pode  ser ele!", pensou. "Arlindo sempre desconfiou de que havia algo errado comigo. Ele nunca perdoou papai pelo carinho que me  dedicava. Ele sabe, por alguma razão, que fui  eu quem matei papai e apagou as evidências como parte de um plano de vingança! Mas porque esconder o corpo, ao invés de simplesmente me entregar à Polícia?". As perguntas atormentavam a mente limitada de nossa heroína  loira. "Ela voltou para o quarto, cobriu o rosto com o  travesseiro e começou a chorar baixinho.

No princípio, chorava por medo. Pela confusão que tomara  conta de sua vida. Mas logo sua dor se  transfigurou, e Jeitosinha passou a verter seu pranto por saudades de Bruno. Lembrava-se das mãos do amado percorrendo seu corpo. Sentiu um calafrio e uma onda de excitação só de  imaginar o toque suave de seus dedos.

Neste momento, abruptamente, Arlindo abre a porta.  Jeitosinha ainda tem tempo de disfarçar as lágrimas. Mas  não a ereção.

Arlindo - Ahá... Eu sabia!

Narrador - Enquanto bradava o irmão, radiante,  uma descarga de adrenalina  fazia desaparecer do jeans apertado o volume comprometedor.

Narrador - Conseguirá  Jeitosinha escapar da revolta de Arlindo?

Confira amanhã, no próximo e emocionante capítulo!

Para reler o Capítulo 1 clique AQUI
Para reler o Capítulo 2 clique AQUI
Para reler o Capítulo 3 clique AQUI
Para reler o Capítulo 4 clique AQUI
Para reler o Capítulo 5 clique AQUI
Para reler o Capítulo 6 clique AQUI
Para reler o Capítulo 7 clique AQUI
Para reler o Capítulo 8 clique AQUI 
Para reler o Capítulo 9 clique AQUI

0 comentários:

- |