Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

quarta-feira, 22 de março de 2017

Novela "A Saga da Jeitosinha" de James Santos - Capítulo 11 "Revolta de Arlindo"


Arlindo - Você nunca me enganou, Jeitosinha... - A voz de  Arlindo destilava revolta e ódio.

Arlindo - Vou contar seu segredo ao papai, assim que ele voltar  da pescaria!

Arlindo - Aliás, vou contar ao  mundo!

Jeitosinha espantada - Contar ao papai?

Narrador - Então Arlindo não sabia que o pai estava  morto! Não foi ele quem escondeu o corpo!

Jeitosinha estava tão fragilizada que acabou assumindo sua bizarra condição ao irmão.

Jeitosinha - Sim,  Arlindo. Sou uma mulher aprisionada no corpo de um homem. Mas sou maior vítima desta situação! Eu lhe imploro: não revele o  meu segredo!

Arlindo - Não adianta, Jeitosinha...  - Toda a minha vida brinquei  com cavalinhos feitos de palitos de fósforo fincados em  batatas, enquanto a princesa tinha os mais caros brinquedos. Toda a minha vida dormi espremido num beliche, com os pés do Amarildo  tocando as minhas narinas, enquanto você tinha seu quarto e finos lençóis de seda...

Narrador - Arlindo agarrou  Jeitosinha pelos braços e fitou o fundo de seus olhos.

Arlindo - Mas o que eu nunca vou perdoar mesmo foi aquela surra  que levei quando descobri a verdade sobre você... - Arlindo  tremia de rancor.

Jeitosinha tentando defender-se - Mas nem eu mesma sabia! 

Arlindo - "-Chega! Chega de suas mentiras”!

Narrador - Arlindo virou-se em direção  à porta. A irmã, desesperada, lançou-se ao chão e  abraçou seus pés.

Jeitosinha - Não, Arlindo... Por  favor! Eu faço qualquer coisa!

Arlindo em tom mais suave - Qualquer  coisa? – Comece mostrando-se para mim. Quero vê-la nua!

Narrador - Relutante, Jeitosinha livrou-se de suas roupas e revelou seu corpo perfeito de mulher.

Bem,  quase perfeito.

Arlindo balbuciando  - Não é justo...

Narrador - Arlindo  apontou o apêndice que fazia de Jeitosinha um quadro surrealista

Arlindo -  Até neste quesito você ganha de mim...

Jeitosinha - Por favor, não seja rude comigo...

Arlindo espantado - O que?  - Você imaginou que eu  quero tocar você? É ruim, heim?

Jeitosinha  - Mas... O que você quer então? - Perguntou a moça,  voltando a se vestir...

Arlindo - Você vai me render dinheiro, irmãzinha. Muito dinheiro!

Narrador - O que Arlindo  pretende? Como Jeitosinha sairá dessa?

Confira amanhã, no  próximo e emocionante capítulo!

Para reler o Capítulo 1 clique AQUI
Para reler o Capítulo 2 clique AQUI
Para reler o Capítulo 3 clique AQUI
Para reler o Capítulo 4 clique AQUI
Para reler o Capítulo 5 clique AQUI
Para reler o Capítulo 6 clique AQUI
Para reler o Capítulo 7 clique AQUI
Para reler o Capítulo 8 clique AQUI 
Para reler o Capítulo 9 clique AQUI
Para reler o Capítulo 10 clique AQUI

0 comentários:

- |