Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Novela "A Saga da Jeitosinha" de James Santos - Capítulo 21 "Bilhete de Adenair"


Narrador - O sol despencou no horizonte tingindo o céu de vermelho. A silhueta perfeita de Jeitosinha, seus longos cabelos loiros, seios voluptuosos, coxas grossas e bumbum empinado, recortados pelo céu do entardecer, eram uma visão idílica. A moça coçou o saco e cuspiu no chão.

Jeitosinha - Porra, mais essa agora. Achei muito bom ser homem... - resmungou, no jardim florido da casa de Madame Mary, ainda sentindo na boca o gosto de sexo.

Narrador - Da janela, a ruiva que havia sido possuída por Jeitosinha, cujo nome de guerra era Laura Croft, suspirava diante da visão do mais radiante e sensual ser humano que já havia conhecido. E olha que ela já tinha transado com uns três maracanãs lotados.
Em seu apartamento, do outro lado da cidade, o angustiado Bruno olhava fixamente o revólver que empunhava. Acabar com a própria vida parecia ser a solução mais plausível para conseguir um pouco de conforto.

Na casa de Jeitosinha, um fio de lágrima escorria pelo rosto de Marilena enquanto ela lia o bilhete deixado por seu filho Adenair:

"Querida mamãe, sem a presença opressora de papai, não vejo mais razão para negar minha própria natureza. A verdade é que, embora na teoria tenha dado à luz sete varões, na prática a senhora tem duas filhas. Me sinto tão mulher quanto Jeitosinha. Não tive, como ela, o privilégio de desfrutar da condição feminina, mesmo que por alguns anos de ilusão. Mas estou disposta a recuperar o tempo perdido. Amanhã terei extirpado de mim, definitivamente, a minha masculinidade. Quero ser uma mulher total. Então vou poder conquistar o coração de Bruno, me casar com ele até ter dois filhos: Claudney Felipe e Luana Piovani Aparecida. Beijos. Adenaíra"

Narrador - As pernas da sofrida mulher não conseguiram sustentar o peso do corpo. Sentada no sofá, amassando a pequena nota entre os dedos, Marilena pensava em como sua vida havia se transformado em questão de dias.

Marilena - Meu Deus... O que poderia ser pior?

Narrador - Neste momento um homem sujo e deformado, metido em roupas fétidas, mancando e babando, abre abruptamente a porta.

Ambrosio - Querida, cheguei!

Narrador - Ambrósio está de volta!

Não perca amanhã,capítulo inédito e emocionante!

Para reler o Capítulo 1 clique AQUI
Para reler o Capítulo 2 clique AQUI
Para reler o Capítulo 3 clique AQUI
Para reler o Capítulo 4 clique AQUI
Para reler o Capítulo 5 clique AQUI
Para reler o Capítulo 6 clique AQUI
Para reler o Capítulo 7 clique AQUI
Para reler o Capítulo 8 clique AQUI 
Para reler o Capítulo 9 clique AQUI
Para reler o Capítulo 10 clique AQUI
Para reler o Capítulo 11 clique AQUI
Para reler o Capítulo 12 clique AQUI
Para reler o Capítulo 13 clique AQUI
Para reler o Capítulo 14 clique AQUI
Para reler o Capítulo 15 clique AQUI
Para reler o Capítulo 16 clique AQUI
Para reler o Capítulo 17 clique AQUI
Para reler o Capítulo 18 clique AQUI
Para reler o Capítulo 19 clique AQUI
Para reler o Capítulo 20 clique AQUI


0 comentários:

- |