LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

quinta-feira, 21 de março de 2019

Padrasto é preso acusado de estuprar enteada de 12 anos em Búzios




Um homem acusado de estuprar a própria enteada de 12 anos foi preso nesta terça-feira (19), em Búzios.  De acordo com a Polícia Civil, havia um mandado de prisão preventiva contra ele, expedido pelo Juízo Especial Adjunto Criminal da Comarca de Cabo Frio, “pelo crime de estupro de vulnerável com violência doméstica”. Ele foi localizado na Estrada da Marina.

O homem foi denunciado por sua ex-companheira. Segundo a Polícia Civil, ele confessou que “inicialmente acariciava as partes íntimas da vítima” e que a estuprava regularmente.
Além disso, ainda segundo a especializada, ele, com medo de que a adolescente engravidasse, deu para ela “pílulas do dia seguinte” em diversas ocasiões.
De acordo com a polícia, o mandado de prisão foi expedido em decorrência de investigações da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM/ Cabo Frio).
Dados sobre estupro de vulnerável
As crianças são as maiores vítimas de estupro no Brasil, segundo o Atlas da Violência de 2018 . O estudo, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), aponta que 50,9% dos casos registrados de estupro em 2016 foram cometidos contra menores de 13 anos de idade. Além disso, em 32,1% dos casos, as vítimas foram adultos, e em 17%, adolescentes.

O número de casos registrados, porém, ainda não é representativo da realidade da violência cometida contra a mulher no Brasil. Como notado no estudo, as polícias brasileiras recolheram um total de 49.497 registros de estupros em 2016. É mais do que o dobro dos casos atendidos no Sistema Único de Saúde, que atendeu 22.918 casos no período.
O número de casos registrados, porém, ainda não é representativo da realidade da violência cometida contra a mulher no Brasil. Como notado no estudo, as polícias brasileiras recolheram um total de 49.497 registros de estupros em 2016. É mais do que o dobro dos casos atendidos no Sistema Único de Saúde, que atendeu 22.918 casos no período.
Para contextualizar o número, o Atlas da Violência apontou a taxa de subnotificação de casos dos Estados Unidos. Lá, apenas 15% dos estupros são de fato notificados à polícia. Se a taxa brasileira for próxima ao exemplo americano, significa que o país sofre com algo em torno de 400 mil estupros anuais.
O estudo também aponta uma alta taxa de recorrência nos casos de estupro. Em 2016, 42,4% das vítimas disseram não ser a primeira vez que sofriam com violência sexual. Nesses casos, a maioria dos autores dos crimes era conhecido das vítimas.
Violência Doméstica
Um dos principais espaços de violência contra a mulher não é a rua, e sim dentro das casas das próprias vítimas. No total, o Atlas da Violência mapeou mais de 13 mil casos registrados como ocorridos dentro da casa da pessoa violentada.
O ambiente prevalece especialmente nos casos de estupro cometidos por pessoas conhecidas da vítima. Nessa situação, a casa é a cena do crime em 78,6% dos casos.
Fonte: prensadebabel.com.br


0 comentários:

- |