Pular para o conteúdo principal

Cabo Frio é candidata a sediar campeonatos Pan Americanos e Mundial de pesca submarina


A cidade de Cabo Frio é candidata a sediar os campeonatos Pan Americano e Mundial de pesca submarina. O anúncio foi feito por Luiz Gonzaga Leocádio, diretor técnico da Confederação Brasileira de Pesca e Desportos Subaquáticos  (CBPDS), logo após o término do Campeonato Brasileiro da modalidade, disputado no litoral da cidade, tendo como base o Clube Náutico, neste fim de semana.

E é de Cabo Frio o mais novo Campeão Brasileiro de Pesca Submarina. Alex Macieira, 40 anos, atleta do Clube Náutico, venceu a competição. Os resultados da etapa também foram decisivos para a definição dos integrantes da seleção que representará o Brasil no Mundial de 2020 (Sardenha – Itália). O campeonato foi realizado pela Confederação Brasileira de Pesca e Desportos Subaquáticos (CBPDS) com a chancela da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado do Rio de Janeiro, por meio do programa RJ + Inclusão.

A competição aconteceu nos dias 29 e 30, com provas nas ilhas Capões, Pargos e Breu, no primeiro dia, e ilhas Comprida, Dois Irmãos e Redonda, com baterias de cinco horas de duração.

Nos dois dias cerca de 320 kg de peixes foram capturados e doados para duas instituições da cidade - Instituto Educacional Camille Flammarion e Asilo Lar da Cidinha – e para funcionários do clube anfitrião. Foram quinze (15) competidores representando oito (8) clubes do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo. A classificação dos atletas para a delegação brasileira levou em conta a soma da pontuação de cada participante na Copa do Brasil, que aconteceu em dezembro de 2018 no Clube dos Marimbás (Rio de Janeiro) e o Campeonato Brasileiro no Clube Náutico.

“Agora nossos esforços serão para treinar esses atletas que se credenciaram para disputar o Pan Americano neste ano ainda e o Mundial em 2020, lembrando que estaremos indicando Cabo Frio para sediar o Pan de 2021 e o Mundial de 2022”, informou Luiz Gonzaga Leocádio, Diretor Técnico da CBPDS

Para Paulo César Pereira Alves, Comodoro do Clube Náutico, os resultados superaram as expectativas. “Ver um atleta nosso campeão brasileiro em uma competição em que somos anfitriões é um privilégio e só vem mostrar o quanto precisamos resgatar a história da Pesca Submarina na cidade, que já teve grandes nomes na história do esporte no país e agora está retornando com força total”, destacou o comodoro referindo-se principalmente a Gelson Costa – o Gandola – que foi o primeiro cabofriense campeão mundial por equipe em 1975, no Peru.

A pesca submarina é um esporte que preza pela sustentabilidade do ecossistema aquático. Peixes protegidos por decretos e leis ambientais não podem ser caçados. As pontuações levam em consideração peça e espécie capturada, além da gramatura, sendo que um atleta pode pescar no máximo três (3) exemplares de uma espécie. Para acontecer, a competição precisa de boas condições climáticas relacionadas à navegação e visibilidade do mar, garantindo a segurança dos atletas. Caso essas condições não sejam favoráveis, a prova pode ser adiada, como aconteceu neste campeonato que primeiramente estava marcado para os dias 22 e 23 de março, mas acabou sendo adiado para a semana seguinte.

A pesca submarina no Clube Náutico

A história da pesca submarina no Clube Náutico de Cabo Frio começou em 1997. De lá pra cá o clube já conquistou 38 títulos em competições estaduais e nacionais e mais de 60 em torneios comemorativos, sendo agora sete (7) vezes campeão brasileiro. Hoje a equipe é formada por seis atletas, tendo como capitão Jairton Querino Gonçalves (o Fininho), Alex Macieira, Matheus Linhares, Humberto Santos (o Macaco), Sérgio Souza e Erci Costa

RESULTADOS – CAMPEONATO BRASILEIRO DE PESCA SUBMARINA

·         Categoria Individual

1º lugar – Alex Macieira – Clube Náutico de Cabo Frio (CNCF)

2º lugar – Paulo Pacheco – Clube Barracuda (Rio de Janeiro)

3º lugar – Paulo Júnior – Clube Marimbás (Rio de Janeiro)

·         Categoria Equipe (Clubes) – considerada o somatório de pontos de dois atletas indicados pelo clube

1º lugar – Clube Marimbás (Rio de Janeiro) com os atletas Paulo Júnior e Rodrigo Fahhan

2º lugar – Clube Náutico de Cabo Frio com os atletas Alex Macieira e Matheus Linhares

3º lugar – Clube APPS (SP) com os atletas Gabriel Barra e Carlos Keiske

·         Maior Peixe Capturado na competição

Matheus Linhares – Clube Náutico de Cabo Frio (Rombudo de 7,320 kg)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.