Pular para o conteúdo principal

Agentes Fundiários flagram ocupações irregulares e apreendem equipamentos



Denúncias anônimas levaram agentes da Coordenadoria de Assuntos Fundiários da Secretaria de Desenvolvimento a flagrar três situações irregulares de ocupações de áreas de preservação ambiental – APAS – neste sábado (27), em bairros do primeiro e segundo Distritos da cidade.
A primeira ação aconteceu na estrada de acesso ao Aeroporto Internacional de Cabo Frio, próximo ao bairro Vila do Sol, dentro do Parque Estadual da Costa do Sol. Os agentes flagraram cinco homens fazendo a roçagem de uma área onde havia parcelamento irregular do solo, com fins comerciais (venda), inclusive com espaço destinado a um campo de futebol.
Com os homens foram apreendidas duas roçadeiras à gasolina, uma foice e um martelo. Os responsáveis foram autuados e, para recuperar os equipamentos devem comparecer à Coordenadoria, munidos das licenças ambientais para o procedimento e documentos pessoais.
Na parte da tarde os agentes se dirigiram ao Distrito de Tamoios, onde flagraram o início de uma construção irregular sob a linha de alta tensão, na Rua da Torre. Após rápida investigação, o responsável foi identificado e teve a obra embargada, além de receber notificação para desocupar o imóvel e providenciar sua demolição, com prazo de sete dias. Caso a notificação seja descumprida, o imóvel será demolido pelo Poder Público.
Já na localidade conhecida como Chavão, também no Distrito de Tamoios, os agentes flagraram uma construção e um parcelamento irregular dentro da área do Parque Natural Municipal do Mico-Leão-Dourado. Os mourões e arame utilizados para o cercamento foram retirados e apreendidos pelos agentes.
Para o coordenador de Assuntos Fundiários, Ricardo Sampaio, que acompanhou pessoalmente as operações, a população deve ficar atenta antes de adquirir qualquer imóvel, pesquisando a titularidade dos bens  nos Cartórios de Registro de Imóveis.
“Nossas operações têm caráter educativo, mas não deixam de ter o rigor da fiscalização. Nos locais visitados, realizamos as ações e cobramos a regularização das pendências, mas nos casos das moradias sob a rede de alta tensão e no Parque do Mico-Leão-Dourado, elas estão totalmente irregulares e notificamos os ocupantes sobre os procedimentos a serem tomados. As demolições só são efetuadas como último recurso, mas, nestes casos, têm como objetivo restabelecer a propriedade do município e preservar as APAs, assim como resguardar os direitos e a integridade dos cidadãos, pois os criminosos usam de todos os artifícios para ludibriar os compradores e fraudar a documentação”, afirmou Ricardo Sampaio.
Quem tiver qualquer dúvida a respeito de documentos de posse apresentados em transações de compra e venda de imóveis em Cabo Frio, ou quiser denunciar crimes semelhantes, deve entrar em contato com a Coordenadoria de Assuntos Fundiários pelo e-mail cogeafcabofrio@gmail.com, ou procurar a sede, à Avenida Manoel Antunes, 344, no Braga.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.