Pular para o conteúdo principal

Ordenamento e turismo de qualidade: bilhete eletrônico volta a ser discutido após publicação da lei nº 2.223


As belezas de Arraial do Cabo já estão estampadas nas colunas dos principais jornais nacionais e internacionais, nas capas dos sites de viagens e hospedagens e em milhares de fotos nas redes sociais! O crescimento do turismo no município na última década vem pautando uma série de discussões para ordenar, preservar e estruturar e fortalecer a atividade no município. 

A Prefeitura de Arraial do Cabo vem trabalhando para buscar o turismo de qualidade, capacitando agentes, levando o nome da cidade para as principais feiras de turismo em todo o país, promovendo workshops para a população, além de ações internas para a preservação do meio ambiente, o ordenamento do trânsito e buscando parcerias para melhorar a qualidade dos serviços essenciais. 

Uma das principais pautas levantadas por moradores, turistas e comerciantes é o ordenamento da Praia dos Anjos, principal ponto de visitação através do turismo náutico. Na quinta-feira (24), a Lei nº 2.223 que dispõe sobre o bilhete eletrônico para passeios náuticos no município foi sancionada pelo Prefeito Renatinho Vianna após a aprovação da Câmara, seguindo as recomendações feitas pelo Ministério Público após reunião realizada no dia 9 de outubro com representantes da classe interessada, o MP e a Prefeitura. 

A lei está disponível no site oficial da Prefeitura, em publicação feita no dia 24 de outubro no Diário Oficial, acesse: www.arraial.rj.gov.br 

Um dos pontos apontados para ordenamento da venda dos passeios de barco é a bilhetagem eletrônica, que permite a venda antecipada de tíquetes via Internet, além de organizar e promover transparência dessa atividade que movimenta a economia do município.

Na manhã de hoje (31), a sessão da Câmara foi marcada por forte discussão acerca do tema. Em votação, a ementa que dispõe sobre a proibição da venda de passeios nas vias públicas pelos conhecidos "atravessadores" foi vetada e revogada. 

A Procuradoria do município reforça que uma outra reunião foi realizada, no dia 29 deste mês, no Ministério Público em que ficou decidido que a Prefeitura organizasse uma Audiência Pública a fim de comunicar e esclarecer a população acerca da Lei 2.223 que dispõe sobre o bilhete eletrônico. A Procuradoria recebeu a ata nesta quinta-feira e vai formar o grupo de trabalho para iniciar os trâmites necessários para a audiência pública. Assim que for marcada, a população será informada através dos canais oficiais.

A Prefeitura reforça que as reuniões vêm acontecendo e que os representantes da classe e as associações estavam cientes das alterações também discutidas em sessões abertas da Câmara Municipal, com atas disponibilizadas via Internet para garantir transparência e credibilidade aos atos do executivo. 

A discussão levantada na sessão de hoje não condiz com a legislação e a recomendação que gerou a adaptação da Lei nº 2.223 foi uma manifestação das associações, incluindo a ABTEPAC. 


Fonte: ASCOM PMAC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.