Pular para o conteúdo principal

Do surgimento à consolidação: agremiações recém-criadas ganham espaço nas ruas de Cabo Frio


Em meio aos tamborins, purpurinas, serpentinas, abadás e fantasias, os 24 blocos, divulgados oficialmente pela Associação de Blocos e Atividades Carnavalescas de Cabo Frio (Abaccaf), estão prontos para invadir as ruas e arrastar multidões. Alguns irão desfilar e outros vão ficar no famoso “concentra, mas não sai”. Uma parte ganhou os foliões há mais tempo e outros chegaram recentemente conquistando o coração do público.
É o caso do “Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Quintal do Chapoquinha”, que completa quatro anos neste Carnaval. A agremiação não desfila, apenas concentra na Praça da Vila Nova, sempre um domingo antes do início da folia, que este ano cai no dia 16, das 17h à 0h. O tema escolhido é “De volta às origens, resgatando o bom e velho samba”. 
Segundo a organização, o “Quintal do Chapoquinha” costuma reunir uma média de 300 participantes, não cobra abadá e tem como cores oficiais o vermelho e branco. O bloco surgiu a partir da consolidação de uma roda de samba, no mesmo local, organizada por Marcelo David, mais conhecido como “Chapoquinha”. Do evento mensal, veio a ideia de transformá-lo em uma agremiação.
“A roda de samba foi criada com o objetivo de promover um momento de lazer, com troca de ideias e apreciação de um bom pagode e deu certo. Foi então que eu e meus amigos Toninho e Leandro Feijão resolvemos implementar o projeto do bloco resgatando o Carnaval da cidade como era antigamente, com bateria, samba enredo, intérprete e marchinhas, trazendo alegria para o nosso bairro que é um grande celeiro do samba em Cabo Frio”, contou Marcelo.
Outro bloco com pouco tempo de fundação é o “Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Tá Doido”. O ano de surgimento foi 2015 por meio de um bate-papo entre amigos. O nome escolhido é o mesmo de um antigo time de futebol amador do Jardim Esperança. A agremiação tem como cores oficiais o azul e branco e costuma reunir cerca de mil pessoas com abadás, quantidade confeccionada pela organização. O tema deste ano será “Carnaval da Família”.
“A ideia de criar o bloco foi promover uma festa para as famílias do bairro. Vamos para mais um ano levar a cultura do samba e o amor pela família para as ruas do Jardim Esperança”, contou o idealizador, Jhonny Costa.
A concentração do ‘Tá Doido’ acontece na segunda (24), das 16h às 18h30, na Rua Lourival Franco de Oliveira, no Jardim Esperança, com atração do Dj Scorpion. A partir desse horário, o bloco desfila pela Rua Davi Garcia da Rocha e Avenida Ézio Cardoso da Fonseca com trio elétrico comandado pela Banda Korda Solta.
Com um pouco mais de experiência, o “Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Oh Sorte” completa 11 anos em 2020. Costuma reunir uma média de 3 mil foliões, número que sempre supera o de confecções de abadás, que este ano serão 2 mil. A concentração será na segunda (24), às 15h, na Praça da Passagem, seguida do desfile pela orla da Praia, sentido Praça das Águas. A cor oficial é verde.
O ‘Oh Sorte’ surgiu por um grupo de amigos amantes do Carnaval que acompanhava os blocos tradicionais da cidade com um carrinho de som próprio.
“Em um desses blocos, no ano de 2008, uma pessoa gritou “vocês têm que virar bloco. Isso sim é animação!”. Essa frase ecoou na minha cabeça e no mesmo ano eu dei entrada nos papéis e oficializei a afiliação à Abaccaf, e, em 2009, saímos pela primeira vez. A expectativa para esse ano são as melhores com o retorno dos blocos à orla. O povo estava com saudade!”, comemorou Renan Sampaio, um dos idealizadores do bloco.
Confira a programação completa em https://bit.ly/37hduOs.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.