LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Polícia procura assassino de PM morto em Figueira


A polícias Civil e Militar buscam informações que levem a descobrir a autoria do disparo que matou o sargento da PM Ricardo Oliveira dos Santos, de 40 anos, durante uma operação contra o tráfico de drogas no centro de Figueira, distrito que fica a 25 Km do perímetro urbano de Arraial do Cabo, no fim da noite desta quarta-feira (12). 
O delegado responsavel pelo caso, titular da 132ª DP (Arraial do Cabo), Renato Mariano dos Santos, não quis adiantar as informações já apuradas para não atrapalhar as investigações, mas a assessoria de comunicação da Polícia Civil informou que já foi instaurado um inquérito e diligências estão sendo feitas para esclarecer o crime. 
Por sua vez, a Polícia Militar informou que nesta quinta-feira (13 )não houve operação no local, embora viaturas tenham sido vistas circulando em maior quantidade nas proximidades de onde ocorreu o crime, inclusive na estrada Pedro Francisco Sanches, a rodovia RJ-102.
A operação que vitimou o sargento da PM tinha como um dos objetivos prender Hemerson Silveira de Souza, conhecido como ‘Menor’, apontado como líder do comércio ilegal de drogas em Figueira, Sabiá, Caiçara e Parque das Garças.
Segundo o Portal dos Procurados, uma investigação recente da Polícia Civil aponta que o traficante teria se mudado para Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, após passar a ser procurado por dois homicídios relacionados a disputas do tráfico. Contra ele, há oito mandados de prisão em aberto por diversos crimes.
'Menor' é apontado pela polícia como chefe do tráfico em Figueira
 O corpo de Ricardo Oliveira foi sepultado ontem no cemitério de Araruama. O 25º BPM emitiu nota de pesar pela morte do sargento. Nas redes sociais, comoção.
– Estou muito triste. Era um cara de origem muito humilde, que amava o que fazia – declarou o pastor Fabrício Valladares, amigo de infância de Ricardo Oliveira.
O policial militar estava na corporação desde 2002. Ele deixou um filho. 
Fonte: folhadoslagos.com

0 comentários:

- |