Pular para o conteúdo principal

PROJETO DE REFLORESTAMENTO PROMOVE PLANTIO DE TRÊS MIL ÁRVORES NATIVAS EM ÁREA DE PRESERVAÇÃO DE SÃO PEDRO DA ALDEIA

Como parte do processo de licenciamento ambiental, uma área de preservação permanente no bairro Pau Rachado, zona rural de São Pedro da Aldeia, está recebendo ações de reflorestamento. A iniciativa é resultado de um projeto de parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Lagoa e Saneamento, e a Agrisa (Agro Indústria São João S.A.), empresa produtora de etanol na Região dos Lagos, responsável por executar o plantio das espécies florestais. Até o momento, mais de três mil mudas de árvores nativas já foram plantadas, recuperando dois hectares de área degradada. O trabalho em parceria deve chegar, ainda, a outras propriedades produtoras de cana-de-açúcar da Agrisa, que também estão em fase de licenciamento no município.
De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Lagoa e Saneamento, Luciano Pinto, além de atender os requisitos legais, o trabalho de reflorestamento evidencia o comprometimento interinstitucional em prol do meio ambiente. “O que nos compete, enquanto órgão licenciador, é estarmos implantando as faixas marginais de proteção, as FMPs, preservando os nossos corpos hídricos, e inserindo também um corredor ecológico para preservar a biodiversidade, a fauna e a flora local. Essa é a nossa proposta e a Agrisa sempre esteve bastante atuante neste projeto conosco. A nossa missão é fomentar esse trabalho e estamos aqui para unir as nossas forças: eles apoiam com as equipes e alguns insumos e a Prefeitura vai viabilizar o fornecimento de novas mudas, nesse momento via convênio com o Inea, para a gente avançar com as ações”, destacou o secretário.
Iniciado em dezembro de 2019, o projeto de reflorestamento visa promover o desenvolvimento sustentável e a viabilidade da atividade econômica da agroindústria, aliados à preservação dos recursos naturais. Entre as espécies nativas já plantadas estão copaíba, mulungu-do-litoral, saboeiro e angico vermelho, produzidas em um viveiro de mudas, na própria unidade da Agrisa. O trabalho de plantio deve se estender até o final do ano.
 “Sempre foi prioridade para a Agrisa o cuidado com o Meio Ambiente. Desde o preparo de solo, plantio e tratos culturais, todas as recomendações agronômicas são seguidas criteriosamente de maneira que a preservação do Meio Ambiente seja cumprida. Esse é um dos principais compromissos da Unidade”, destacou o engenheiro da Agrisa, Ralph Albertassi, líder da Unidade.
O projeto conta com o suporte técnico e acompanhamento de profissionais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, entre eles a engenheira florestal e a fiscal de Meio Ambiente da Sealps, Laíz Estefane e Daiana Cabral, respectivamente. Também compõem o grupo de trabalho a analista ambiental e o líder agrícola da Agrisa, Stephani Brunetti e Carlos Henrique Laureano Rodrigues.
Na última semana, o grupo fez uma visita à área para acompanhar a evolução das mudas. “A ideia é replicar esse trabalho nas outras propriedades da Agrisa, ao todo são dez. A gente acredita que, abrangendo todas as unidades, vamos atingir em torno de 50 mil árvores, aproximadamente, trazendo inúmeros benefícios para o município”, finalizou o secretário Luciano.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.