Pular para o conteúdo principal

PLANTIO DE ÁRVORE E DOAÇÃO DE MÁSCARA MARCAM DIA DO MEIO AMBIENTE ALDEENSE


Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5 de junho e, para incentivar o cuidado com a natureza e a educação ambiental em meio à pandemia de coronavírus, a Prefeitura de São Pedro da Aldeia convoca a população a aderir à campanha de plantio de árvores nativas. Entre os dias 5 a 10 de junho, o Horto Escola Artesanal, localizado na Rodovia Amaral Peixoto, km 107, no bairro Balneário das Conchas, vai distribuir mudas de forma gratuita, com limite de duas unidades por pessoa. As 100 primeiras mudas entregues terão ainda um bônus: serão acompanhadas por uma máscara de proteção facial. Clique AQUI e confira o regulamento.

A iniciativa é resultado de uma parceria entre as secretarias de Meio Ambiente, Lagoa e Saneamento e de Agricultura, Trabalho e Pesca. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Luciano Pinto, a proposta é motivar os cidadãos a adotarem boas práticas ambientais. “Este ano, devido à pandemia do COVID-19, nós não podemos promover eventos coletivos nas comunidades e escolas como costumávamos faze. Então, lançamos essa campanha, aliada ao uso da máscara de proteção, para que todo cidadão se sinta motivado a preservar o planeta e a vida humana, diminuindo as possibilidades de propagação do coronavírus e combatendo essa pandemia com pequenas ações que farão a diferença no futuro”, disse.

EVITE O FIM. PRESERVE O MEIO!

O cuidado com o meio ambiente não requer medidas drásticas. No entanto, assim como a contenção da pandemia do COVID-19, a preservação ambiental e a economia dos recursos naturais também dependem da conscientização coletiva e de mudança no comportamento social. Pequenas ações individuais no dia a dia já fazem a diferença, como o descarte correto do lixo e a redução do consumo de água e de energia elétrica, por exemplo.

“Toda ação humana impacta diretamente na qualidade ambiental. Prova disso são os efeitos positivos que o isolamento social e a diminuição das atividades industriais estão produzindo sobre o meio ambiente. O resultado tem sido percebido seja no ar mais puro até na lagoa mais clara e limpa. Isso mostra que precisamos repensar os nossos hábitos e a nossa rotina. Não podemos deixar que essa fase de recuperação seja provisória, essa preocupação precisa ser permanente”, enfatizou o biólogo da Secretaria de Agricultura, Flávio Gomes.

PLANTAR PARA PRESERVAR

Além de ser uma atividade prazerosa, plantar uma árvore ainda é uma das alternativas mais simples para se reverter os impactos ambientais causados pelo ser humano. Além de cumprir uma função estética, as árvores produzem inúmeros benefícios ecológicos para o ecossistema urbano.
Entre os efeitos vantajosos apontados por especialistas estão o papel preponderante das árvores para um maior conforto térmico e absorção da radiação solar, melhoria da qualidade do ar, sombreamento, a influência no ciclo da água e proteção do solo, além dos aspectos psicológicos para a saúde das pessoas, como o aumento da sensação de bem-estar e redução do estresse.

“As árvores melhoram a permeabilidade e as condições do solo, permitindo a entrada de organismos benéficos e criando uma fonte de abrigo e alimento para a fauna. Elas também influenciam no equilíbrio climático, atuando na regularização da temperatura e na umidade relativa do ar”, disse Flávio.

HORTO MUNICIPAL

Com aproximadamente 20 mil metros quadrados de área verde, o Horto Escola Artesanal de São Pedro da Aldeia é o mais importante da região em termos de produção de mudas de Mata Atlântica. Baseada em técnicas de cultivo orgânico, a unidade produz, anualmente, cerca de 30 mil mudas diversas, principalmente árvores frutíferas, exóticas, nativas e até ameaçadas de extinção, como a Grumixama, Guaquica e Araçá. O maior volume de produção é de espécies nativas com potencial paisagístico, como Aroeira, Pau-Brasil, Sibipiruna, Pau-Ferro, Pata-de-Vaca, Painera, Oiti, Jequitibá e Ipês de modo geral, entre outras.

O espaço mantém um projeto permanente de doação de mudas com prioridade para escolas, produtores rurais, instituições sociais, empresas, igrejas e associações de moradores. “Por mês, realizamos em média a distribuição de 3 a 4 mil mudas do nosso estoque, atendendo a necessidades de recomposição paisagística, mas também de recuperação de áreas degradadas e revitalização de espaços públicos”, destacou o secretário de Agricultura, Trabalho e Pesca, Dimas Tadeu.

Paralelamente, o Horto Escola promove cursos, oficinas e palestras abertas à população, além de visitações guiadas com grupos escolares. As atividades têm como foco a educação em sustentabilidade, reciclagem, reaproveitamento de materiais, implantação de hortas agroecológicas e o resgate das memórias afetivas e das tradições do campo.

O QUE PLANTAR?

Para o plantio em pequenos espaços, o secretário de Agricultura, biólogo e técnico agrícola, Dimas Tadeu, recomenda árvores ou plantas arbustivas de menor porte. “Nós temos aqui plantas de pleno sol, meia sombra e plantas que se adaptam a diferentes ambientes. É preciso cuidado com as árvores que têm um sistema radicular muito agressivo porque podem causar problemas futuros se forem plantadas próximo a casas ou calçadas, por exemplo. Indicamos plantas de porte médio e de fácil cultivo, como ipês, palmeiras fênix, dracenas, clúsias, além da ora-pro-nobis, bouganville e murtas que são ideais também para a ornamentação e construção de cercas vivas”, ressaltou.
Entre as opções frutíferas produzidas pelo Horto estão Noni, Abiu, Jambo e Castanheira. “São árvores recomendadas para se ter em casa até para consumo de seus frutos, que são importantes para a manutenção da saúde”, destacou Dimas. O espaço também produz plantas medicinais de uso consagrado, como hortelã pimenta, capim limão, citronela, guaco e erva cidreira.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.