Pular para o conteúdo principal

Justiça determina medidas de proteção aos servidores da Saúde de Cabo Frio contra Covid-19



O juiz Caio Luiz Rodrigues Romo, da 1ª Vara Cível de Cabo Frio, determinou que a Prefeitura de  Cabo Frio tome uma série de medidas de proteção aos servidores da Saúde com relação à pandemia do novo coronavírus. A decisão judicial atende em parte a uma ação civil pública do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cabo Frio (Sindicaf) e do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Cabo Frio (SindSaúde).

A decisão do magistrado impõe que o município providencie a realização de exames rápidos de Covid-19 em todos os funcionários que apresentarem sintomas da doença; assim como o fornecimento e a reposição dos equipamentos de proteção individual (EPIs) usados pelos trabalhadores, como sabonete líquido, álcool gel 70%, aventais descartáveis e de maior gramatura, máscara cirúrgica, máscara de proteção respiratória (respirador particulado) máscara N 95 ou PFF2, óculos ou protetor ocular, protetor facial ou Face Shield, luvas, gorro e capote impermeável.

Ponto polêmico e que também gerou a abertura da ação coletiva, a dispensa do trabalho de funcionários que estão no grupo de risco também foi contemplada na decisão judicial, mas ela não será feita de forma automática. A sentença da Justiça de Cabo Frio estabelece que A Prefeitura avalie a possiblidade de afastamento das funções dos profissionais da saúde pública nessas condições, em caso de pedido do servidor e com a devida comprovação de enquadramento nas condições estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).  

Sem dizer quais critérios devem ser usados para a avaliação dos pedidos de dispensa, o juiz Caio Romo argumentou na decisão que o afastamento imediato de todos os trabalhadores no grupo de risco pode levar a um colapso no sistema de saúde.

O presidente do SindSaúde, Gelcimar Almeida, classificou a decisão judicial como uma ‘vitória’ dos trabalhadores. Ele mesmo ainda se recuperando da doença, Mazinho, como o diretor sindical é conhecido, criticou novamente a dificuldade para a liberação dos servidores.

– As pessoas que tinham comorbidades (como diabetes e hipertensão), pediam o afastamento e lá tinha a comissão de três médicos que não avaliavam o paciente, só o atestado. Pediam para abrir um processo administrativo que sempre era indeferido. Eu mesmo levei dez dias para conseguir o inteiro teor do meu processo, mas não tinha nada nele. Agora, com essa decisão, eles vão ter que afastar – comentou, apesar da sentença do magistrado não colocar o afastamento como obrigatório.

Além das medidas protetivas, a Justiça exigiu da Prefeitura no prazo de 48 horas, um relatório sobre o fornecimento de EPIS e a lista de materiais em estoque necessários à higienização do local de trabalho, bem como comprovantes de entrega dos materiais e documentos que atestem a autorização de compra e previsão de recebimento de material, para reposição das quantias atuais em estoque, em cada uma das unidades de saúde municipais.

“Em que pese a adoção de diversas medidas com vistas ao enfrentamento da doença, fato é que a mídia noticia diariamente a morte de diversos profissionais de saúde, dentre eles médicos, enfermeiros, maqueiros, socorristas, enfim cidadãos que perdem suas vidas para a pandemia no exercício de suas respectivas profissões diretamente ligadas à área de saúde. A probabilidade do direito resta então evidenciada na necessidade de maior proteção à vida de tais profissionais que atuam na linha de frente no combate à pandemia causada pelo Novo Coronavírus (COVID-19)”, consta na decisão.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Cabo Frio sobre o assunto e aguarda uma resposta. 



Fonte: folhadoslagos.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.