Pular para o conteúdo principal

Estagiários de Nutrição auxiliam montagem de kits de alimentação escolar


 Os 13.055 alunos da rede municipal de ensino aldeense vão receber, entre os meses de novembro e dezembro, um kit alimentação, adquirido com verba do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Para a montagem dos kits, o setor de Nutrição da Secretaria Municipal de Educação ganhou um reforço extra: a parceria de 42 estagiários do curso de Nutrição da UNOPAR, que foram a campo auxiliar na montagem e higienização de todo o material.

 

A medida, além de ajudar os futuros nutricionistas com a carga horária obrigatória de estágio, também é uma forma de auxiliar a equipe da Secretaria que, no momento, conta apenas com cinco profissionais no setor de Nutrição.

 

A nutricionista que atua na pasta, Lívia Carvalho, explicou que além de ajudar no processo de montagem dos kits de alimentação escolar, os estagiários também estão sendo de fundamental importância na higienização dos alimentos. “Está sendo utilizando álcool para a esterilização de todas as embalagens. Os estagiários têm esse trabalho, além de ficarem atentos para que nenhum alimento entre em contato com o piso. Todas as superfícies estão sendo muito bem higienizadas”, contou.

 

Além dos estagiários em campo, a Educação também conta com duas alunas da UFRJ que estão dando auxílio de forma remota. Elas auxiliam nas questões internas. A dupla produziu um folheto de alimentação segura em tempos de pandemia, com orientações que vão desde higiene dos alimentos até formas de alimentação saudável e sustentável.

 

SOBRE A ENTREGA DOS KITS

Os kits de alimentação escolar foram adquiridos com verba do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que determina a distribuição de forma igualitária a todos os alunos matriculados na rede municipal de ensino aldeense. A compra dos alimentos seguiu estritamente a legislação, compondo o kit com ingredientes que fazem parte da rotina alimentar do aluno na escola.

 

O kit conta com alimentos como achocolatado, arroz, biscoito, macarrão entre outros. Além dos alimentos básicos, os alunos também recebem itens de agricultura familiar, como, legumes, verduras e frutas.

 

Nesta semana, foi iniciada a entrega dos kits de alimentação dos alunos da Rede Municipal de Ensino. O processo de montagem e entrega seguirá irá até o dia 18 de dezembro, fazendo com que escolas tenham datas diferentes para o momento da distribuição. Cada unidade escolar escolheu a forma mais adequada para entregar os alimentos. A escola do Morro do Milagre,  E. M. Rubem Arruda, por exemplo, não esperou a chegada de todos os itens para iniciar a distribuição. Para evitar desperdício, decidiu entregar os itens de agricultura familiar primeiro, pois os mesmos já estavam em processo de amadurecimento, depois entregará os demais alimentos.

 

Na quarta-feira (18/11), entre as escolas que fizeram as entregas estavam a E. M. Profª  Miriam Alves, localizada no bairro Fluminense.  A escola montou todo um esquema de higienização, separando atendimento das turmas por mesas para que fosse evitada a aglomeração, desde o preenchimento da ficha obrigatória para a retirada do kit, até o momento do aluno ou responsável buscavam os alimentos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.