Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Editorial – Natal/RN e Cabo Frio, uma longa distância...




Depois de um ano de muito trabalho, com cargas horárias desumanas que chegaram a 18 horas de trabalho por dia, tirei uma semana inteira com minha família em Natal-RN, já que nunca tínhamos ido a esse destino. E como férias foram dias perfeitos, Natal-RN é lindo, um litoral perfeito e paisagens inacreditáveis, além de um povo aconchegante e hospitaleiro.

Mas algumas diferenças são gritantes no que trata a forma de desenvolvimento e preservação ambiental, lá bugres sobem e descem nas dunas, mais de 600 bugres cadastrados para transporte de turista, eles andam nas areias das praias, rodam as dunas, que tem quiosques e opções de lazer como o “skibunda”, além de outros, aqui tem resort dentro da praia, dentro das dunas, aqui tem prédios e hotéis com quase 20 andares de altura, em resumo, aqui se tem turismo, desenvolvimento, e não tem as loucuras irracionais de pretensos ambientalistas e defensores que a cidade seja idêntica ao começo do século passado.

O IDEMA consegue conciliar desenvolvimento e preservação, a cidade tem 2 grandes shoppings e que eu saiba ninguém foi contra a construção de nenhum deles, um existe desde o começo dos anos 90.

Lá também tem a Lagoa de Pitangui, um oásis de água doce em meio a uma paisagem desértica, lá tem quiosque a beira da lagoa, rapel, brinquedos, bugres, carros 4x4, carros normais em rua de saibro entre as dunas, tem gente feliz e gastando, tem povo local feliz e trabalhando, já se fosse em Cabo Frio seria proibido até tirar foto, vai que o flash mate uma plantinha, rsrsrs...

Ver os quiosqueiros de Cabo Frio perseguidos sem poder andar na praia com seus bugres, e ver bugres usar as praias lá como pista de turismo é de partir o coração mas quem sabe um dia vereador deixe de pensar com o bolso para vender facilidade as dificuldades, quem sabe um dia os “ambientalistas” descubram que se pode conciliar desenvolvimento, turismo e natureza, sem radicalizar, quem sabe um dia Cabo Frio amadureça seu pensamento!

0 comentários:

- |