Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Denúncia - Escola Sauna em São Pedro da Aldeia


Caro Prefeito Cláudio Chumbinho e secretário de educação as escolas do Bairro Campo Redondo pede socorro.

A escola Luiza Terra de Andrade tem salas sem ventiladores e com esse calor que anda fazendo como os alunos não vão aguentar ficar na sala fazendo a lição enquanto o suor fica escorrendo como se eles estivessem em uma sauna. Você senhor prefeito e secretário de educação de São Pedro da Aldeia poderiam fazer uma visita na escola e ficar umas meia hora dentro da sala de aula para ter uma noção do calor.

Gyh Marins

Do Blog Cartão Vermelho:


Sra Gyh no começo do ano de 2014 a Secretaria de Educação começou a volta as aulas sem carteiras nas escolas, mas a bem da verdade essa secretaria sempre entrou em contato com nosso blog e resolveu os problemas (diferente das demais secretarias que jamais responderam ou resolveram qualquer problema), portanto fica nosso sentimento que a mesma atitude possa acontecer em 2015 e a Escola Luiza Terra de Andrade tenha a colocação de ventiladores em suas dependências e salas de aula.

PDT do discurso a realidade - Eles perseguem trabalhadores de rua


José Bonifácio e seu partido PDT mais uma vez mostravam suas preferências pelas oligarquias da cidade e contra os pobres trabalhadores, após ter sido presidente da Associação Comercial e já ocupando o cargo de prefeito o PDT perseguiu os barraqueiros da Praia do Forte e começa a perseguição contra os camelôs da Rua Jonas Garcia.


A medida contra a classe trabalhadora era chamada por eles de "antipática", mas necessária em defesa dos comerciantes ricos e tradicionais da cidade.

Bastidores da Política e da Imprensa


São Pedro

Os Lobos continuam ativos na política da cidade, e após a expressiva votação de Elizangela Lobo (PR) a campanha de 2016 segue a passos largos. Há quem afirme que o candidato será Paulo Lobo (PR) para desespero do Chumbinho (PT).

São Pedro 2

Apesar do mandato desastroso que Chumbinho (PT) faz em São Pedro, com o abandono dos bairros e falência da saúde, segue candidato a reeleição, há pessoas ligadas a ele preocupadas com a fragilidade política de Chumbinho, afirmam "se não melhorar um pouco não será reeleito".

São Pedro 3

O ex-deputado federal, Dr. Paulo César (PR), é que promete ser a novidade no cenário eleitoral de São Pedro da Aldeia, Dr. Paulo César já estaria em busca de um novo partido com o objetivo de ser candidato em 2016.

São Pedro 4

Na câmara já começam a surgir nomes ensaiando candidatura, a maior parte ou todos são balão de ensaio para vender a candidatura e pegar uma cadeira de vice ou ampliar espaço no governo.

Deu ruim

Não convidem para a mesma mesa Tony Godoy e Vânia Carvalho, pode voar copos e guardanapos.

Menina de Ouro


Por falar na Menina de Ouro, Vânia Carvalho, ela está brilhante com a crônica " Deputado Dolly", se prepare para muitas reflexões no cenário político e deliciosas gargalhadas. Imperdível!

Coluna da Menina de Ouro, Vânia Carvalho


Deputado Dolly

O prefeito MM mente! Como sempre criando a ilusão para os trouxas que lhe acompanham de que é vitorioso.

 Em sua festa vazia, apesar das notícias contrárias de que estava superlotada, com presenças ilustres e a população em massa, MM declara que conseguiu uma vitória e que o povo o escolheu, da mesma forma que o escolherá quando voltar a sentar na cadeira de prefeito. Porém, vamos aos fatos!

Em sua votação esdrúxula na campanha para deputado federal, MM não conseguiu se eleger em 1ª mão, apenas caiu-lhe no colo a 1ª suplência. E o que é uma suplência? Suplência é um nome mais bonitinho que nada mais é do que o significado de RESERVA.

Sabe quando o jogador titular se machuca ou fica doente e o técnico tira do banco  e escala um substituto? Pois é, isso foi MM, um tapa buraco! Alguém que estava na fila, rezando para que o titular não ocupasse seu cargo, este sim, pela maioria da  votação popular e assim, pudesse sair por aí, como está fazendo agora se dizendo um agraciado.

Sabe quando você procura um refrigerante de marca e não encontra e o que lhe resta é um guarná Dolly pra acompanhar as refeições? Pois é, este é MM, um deputado federal que como o guaraná Dolly, teve que ser empurrado goela abaixo, já que não havia ninguém melhor pra ser servido nas refeições.

E aí, com todo descaramento, o deputado Dolly, resolve lançar seus discursos de vitória, mesmo ciente de que seu lugar a mesa pode ser temporário. Sim! Meus caros leitores, pois se o deputado titular resolver ocupar seu cargo de volta e ficar até o fim do mandato, MM volta pra casa, com sua suplência debaixo do braço, para estampar na parede e pensar:

- Puxa! gostei tanto de sentar naquela cadeira, mas só deu tempo de soltar um pum e voltar para casa rsrsrrs

Os tolos, que agora não percebem e encaram a nomeação de MM como algo maravilhoso, são ingênuos o bastante para acharem, que este possui uma total intenção de votos do povo cabo-friense, para o pleito ao executivo municipal. Sabem de nada inocentes!  

E aí fica nosso resumo a toda essa palhaçada de vitórias e graças recebidas, que os que estão com ele, se acostumaram com aquele ditado:


Quem não tem Coca-Cola caça com Dolly mesmo!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Bastidores da Política e da Imprensa




Marcos Mendes

O ex-prefeito Marcos Mendes (PMDB) foi a um jornal da cidade ofender a mim (Álex Garcia) e ao blogueiro José Francisco de Moura, em um ato típico de quem já está desesperado pelo poder bateu e agrediu, é o desespero de não ter sido eleito em 2014 (é apenas suplente em exercício) é o desespero de viver patinando em pesquisa para 2016.

Marcos Mendes 2

Claro que todas as ofensas, injúrias e difamações serão encaminhadas a Justiça, que irá definir a pena pela qual o ex-prefeito Marcos Mendes (PMDB) deverá pagar ou não, vivemos em um país com leis, aqui não é terra de ninguém.

Marcos Mendes 3

Um dos motivos do ódio do ex-prefeito Marcos Mendes (PMDB) contra mim é o fato de ter narrado nesse espaço de comunicação suas mais de 40 condenações no TCE em apenas 26 meses, é o fato de termos narrado aqui que suas Contas Governamentais de 2012 foram REJEITADAS pelo tribunal por GRAVES irregularidades no trato ao erário público.

Marcos Mendes 4

Lamento que o ex-prefeito Marcos Mendes (PMDB) tenha tanto ódio pela verdade, lamento que se proteja atrás da mídia pacificada e que vive de goela aberta esperando a volta do ex-prefeito, aqui Sr. Marcos Mendes é o Blog Cartão Vermelho, nos pautamos pela verdade, não temos medos de bravatas, calúnias e difamações, também não temos medo de ameaça a neném na barriga da mãe e nem de sequestro em porta de colégio, eu (Álex Garcia) não me dobro a esse tipo de ameaça, e mais do que nunca estarei atento a sua forma de fazer política.

RECORD

A emissora Record da Região dos Lagos que não tem contrato de mídia com a Prefeitura de Cabo Frio está mais uma vez pressionando a prefeitura em busca de arrancar anúncio e para isso se juntou à Folha dos Mendes, espero que o Prefeito Alair Corrêa (PP) não se dobre a esse tipo de extorsão e siga justificando todas as calúnias que sofrer como fez no texto apresentado logo abaixo.

Dr. Paulo César

Segue forte a onda de boatos que Dr. Paulo César (PR) será candidato a prefeito de São Pedro da Aldeia em 2016, mas até o momento Dr. Paulo César não confirmou e nem desmentiu os boatos.

Professorinha

A professorinha da geladeira segue se fazendo de paladino da verdade, seus textos com X como se todos fossem transexuais seguem mentindo, ela sabe que sua forma de agir é leviana e de mau caráter, mas o que importa mesmo é a mídia para alimentar o ego.

Com a palavra o Prefeito Alair Corrêa




ATENDENDO AOS NOSSOS OPOSITORES

ATENDENDO AOS NOSSOS OPOSITORES a Record acabou de veicular matéria sobre os banheiros da praça dos quiosques. E sem nos dar o direito de mostrar a verdade sobre esse contrato. Na última sexta-feira, 20, o dono do jornal folha dos Lagos, Moacir Cabral, anunciou uma parceria entre seu jornal e a Record, informando que trabalhariam juntos contra a nossa administração, fazendo denúncias e que as mesmas começariam já no início dessa semana, o que veio se confirmar ainda há pouco no jornal da TV Record.

A matéria escolhida para começar a série caluniosa foi o preço que estamos pagando à empresa que cuida da área dos quiosques da Praia do Forte. Interessante que há poucos dias, um blog muito lido alertava sobre uma campanha organizada pelos adversários para tentar desestabilizar através da mídia e com denúncias ao MP, o nosso governo. Diante da ligação e estreitas relações do dono do jornal com os meus dois adversários, logo pensei neles, o que agora se confirmou. Mas não vou falar agora da resposta que darei ao Sr M. Cabral. Primeiro prefiro analisar e mostrar a verdade sobre a matéria da Record sobre os quiosques.

VAMOS LÁ: No meu governo tudo é feito as claras e com a exigida transparência e não seria um mero contrato de limpeza de banheiros que poderia vir suja-lo, como desejam os adversários. Logo após a inauguração, foi feita a licitação para a manutenção da praça dos quiosques, vencida pela firma Nova Tamoio que nesses dois anos vem fazendo a manutenção geral. A firma, que recebe R$50 mil, não é para cuidar de apenas três banheiros, como afirmou, erradamente, o apresentador do jornal.

NA VERDADE SÃO 80 SANITÁRIOS. A TV errou em 77 banheiros. Além desses banheiros, a firma cuida da manutenção de CINCO ELEVADORES, cuida de CINCO ILHAS com 5 pequenos lagos e com 15 quiosques. Ela é responsável pela parte hidráulica e elétrica, é responsável pela troca de qualquer material que quebre ou danifique, como troca de torneiras, vasos, tampas, reposição de blindex, substituição de lâmpadas, reatores, fornecimento não só do material para limpeza como colocação de papéis toalhas ou higiênico.

Então a MATÉRIA VEICULADA NÃO RETRATOU A VERDADE, mas é assim que os desonestos adversários agem: mentindo, caluniando e ainda levando em seu projeto uma TV como a Record junta para tornar mais forte seus desejos de vingança contra um governo que se peca é por estar resistindo em não dar dinheiro a F dos Lagos. Nada temos a esconder e a cada denúncia, imediatamente, responderemos. Sempre com a VERDADE.

O Zé de 2015




Por Pedro Nascimento Araujo

Não foi há muito tempo. Em 2005, quando um estarrecido Brasil começava tomava conhecimento do Mensalão, seu delator, o então deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), disse uma daquelas raras frases que se tornaram clássicos instantâneos: “Sai daí, Zé! Sai rápido!” O Zé de 2005 era José Dirceu, então todo-poderoso Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República. José Dirceu foi o mentor do “Lulinha, Paz & Amor”, reencarnação de Lula da Silva palatável ao eleitorado moderado (e, portanto, majoritário), oposição direta ao Lula da Silva raivoso e sectário, apodado anteriormente de “Sapo barbudo” por Leonel Brizola, em outro raro caso de clássico instantâneo. Deu certo: após perder três eleições seguidas (1989, 1994 e 1998, sendo as duas últimas derrotas em primeiro turno), finalmente Lula da Silva ascenderia ao Palácio do Planalto. O plano de Dirceu era claro: após eleger Lula da Silva, ele iria comandar toda a máquina estatal e, tal e qual uma Dilma Rousseff avant la lettre, faria “o diabo” para eleger-se. Então, não apenas deixou clara sua paradoxal condição de eminência parda às claras (exemplo didático: Dirceu mudou o cerimonial do Palácio do Planalto para que o primeiro ministro a entrar após o Presidente da República em qualquer cerimônia passasse a ser o titular da Casa Civil, não por acaso a pasta que ele ocupava, fato que o levou a ganhar a óbvia alcunha de Primeiro-Ministro – algo que o agradava sobremaneira), como também arquitetou o Mensalão, fonte primordial de sua queda espetacular meros dois dias após o impagável “Sai daí, Zé!” de Roberto Jefferson no depoimento à Comissão de Ética da Câmara dos Deputados. A crise que se seguiu foi pesadíssima: Lula da Silva cogitou renunciar, mas uma combinação de popularidade ainda elevada, oposição mesquinha e situação econômico-financeira favorável foi o suficiente para mantê-lo vivo – para tanto, foi crucial que a cabeça do Zé fosse rapidamente servida em uma bandeja de prata. Quase uma década depois, quando a nação se dá conta de que o Mensalão mais se parece com um caso para Juizado de Pequenas Causas diante do Petrolão, eis que surge o Zé de 2015, com potencial para tornar longa e perigosa uma crise política potencialmente maior do que o Mensalão, uma vez que a combinação de fatores que manteve a cabeça de Lula da Silva presa ao seu diminuto pescoço não se repete para Dilma Rousseff: José Eduardo Cardozo, atual Ministro da Justiça, é o Zé de 2015. E é muito parecido com José Dirceu, o Zé de 2005.

Algumas coisas na vida são tão corriqueiras que acabam se tornando quase certezas inexoráveis. Do mesmo modo que a noite vem depois do dia e o verão vem depois da primavera, aparentemente o PT sempre sai de uma crise para entrar em outra crise ainda maior; a bem da verdade, é bom que se registre que todas as crises que afligiram o PT foram criadas pelo próprio PT – e não é diferente com o Petrolão. E, assim como os seres vivos nascem e morrem, em toda nova crise há uma personagem do PT de plantão para piorar o que parecia impossível de piorar – o Zé do ano. Voltemos, portanto, a José Eduardo Cardozo, o Zé de 2015. Tratava-se de um político em ascensão, percebido como um dos melhores quadros do PT, um homem moderado, com capacidade de consenso e atuação respeitada mesmo pela oposição, muito por causa da maneira serena como atuou na sub-relatoria da CPI dos Correios. Cardozo parecia ser o que havia sobrado daquele PT que fez milhões de brasileiros sonharem com um governo responsável, consciente e honesto – infelizmente, valores que ficaram faltando nos governos do PT. Apenas parecia. Foi flagrado recebendo em seu gabinete o advogado de um Ricardo Pessoa, o preso da Operação Lava-Jato com maior potencial de explodir o governo do PT: dono da empreiteira UTC, Pessoa era o chefe do autointitulado “Clube do Bilhão”, convescote de empreiteiros e políticos cuja única função era roubar a Petrobras e outras empresas controladas pelo governo do PT. Pateticamente, negou; depois, quando não foi mais possível negar, admitiu e disse que o encontro foi “casual”. Cardozo partiu da premissa de que 200 milhões de brasileiros são idiotas com essa declaração – ele partiu da premissa de que 200 milhões de brasileiros são muito, muito, mas muito idiotas mesmo. Um acinte. Só essa prepotência já deveria ser motivo para um sujeito que trata o povo dessa maneira ser escorraçado da titularidade do Ministério da Justiça aos gritos de “Sai daí, Zé! Sai rápido!”, mas há mais, muito mais. Já há declarações de pessoas do Petrolão garantindo que foi o Zé de 2015 quem procurou o advogado de Ricardo Pessoa para tentar impedir que o dono da UTC, um corrupto confesso que está em vias de fechar um acordo de delação premiada, desistisse de colaborar com a Justiça. O objetivo do Zé de 2015 é proteger próceres do seu partido, nem que, para isso, corruptos saiam ilesos de seus crimes. Inacreditável, não fosse pelas declarações à imprensa de pessoas próximas às partes envolvidas garantindo que o Zé de 2015 realmente prometeu a liberdade a Pessoa. Trocando em miúdos, estamos vivendo a pateticamente surreal situação que se segue: o Ministro da Justiça está se comprometendo a trabalhar para impedir a Justiça de trabalhar! Isso é inadmissível.

O plano do Zé de 2015 fez água. Conforme mais detalhes de suas intervenções para livrar Ricardo Pessoa da prisão e outros forem sendo vazadas para a imprensa (acredite, Zé!, elas sê-lo-ão), José Eduardo Cardozo ficará cada vez mais na berlinda. Não há como dar certo, e não é apenas pelo fato de ter vazado: Ricardo Pessoa tem medo, muito medo. O grande legado pedagógico da queda espetacular do Zé de 2005 foi esse: enquanto ele, a exemplo dos demais integrantes do núcleo político do Mensalão está em uma confortabilíssima prisão domiciliar, o núcleo empresarial ainda apodrece na cadeia; pior, com uma pena de mais de 40 anos, o notório Marcos Valério tem chances reais de ficar preso até o final dos seus dias. Nenhum dos empreiteiros presos há meses na Operação Lava-Jato quer se arriscar a ser o Marcos Valério do governo Dilma Rousseff – donde emana a disposição onipresente de costurar acordos de delação premiada, como já fizeram alguns, dentre eles Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, peixes grandes. A última coisa que o governo precisa é de um Ministro da Justiça todos os dias nos jornais tentando explicar o inexplicável. É impressionante como o PT insiste em trocar suas telhas de aço por telhas de vidro sem razão aparente – parece que o partido gosta de vê-las sendo espatifadas. Aliás, se Lula da Silva ainda conservasse um pouco da argúcia de antanho, já teria derrubado espetacularmente o Zé de 2015, como o fez com o Zé de 2005. Entregá-lo-ia aos leões rapidamente, para evitar manchetes diárias tratando da vida dupla do Ministro da Justiça: o Zé promove a Justiça para com uma mão e bloqueia a Justiça com a outra. O Petrolão já suficientemente grave per se, mas o PT consegue torná-lo ainda pior ao manter José Eduardo Cardozo no Ministério da Justiça. Ele simplesmente não tem mais condições políticas de sentar-se naquela cadeira. Na prática, enquanto ele ainda estiver lá, sua atuação será assunto preferencial na imprensa e a desconfiança generalizada de que o governo do PT patrocina tentativas de obstrução da Justiça – por sinal: isso é crime, Zé! – não cessará. O PT parece ter uma patológica atração por cordas: sempre que uma se coloca em seu caminho, o partido não a usa para escalar a montanha à frente – prefere se enforcar. José Eduardo Cardozo deveria se lembrar de Roberto Jefferson e José Dirceu: “Sai daí, Zé! Sai rápido!” Não é por falta de conselhos que ele resolveu se entregar a uma sangria inútil. Francamente, não dá para entender porque o Zé de 2015 quer tanto repetir o Zé de 2005.

Pedro Nascimento Araujo é economista.

- |