Pular para o conteúdo principal

Projeto Albatroz recebe área da Prefeitura para Centro de Visitação e Educação Ambiental


A Prefeitura de Cabo Frio doa um terreno de cerca de 18mil m² para a construção do Centro Albatroz – Centro de Visitação e Educação Ambiental Marinha – na Avenida Wilson Mendes, ao lado do Parque Ecológico Municipal Dormitório das Garças e da Lagoa de Araruama. A Câmara Municipal Cabo Frio aprovou nesta terça-feira (9), por unanimidade, o Projeto de Lei nº 179/2019, de autoria do vereador Guilherme Moreira, que autoriza a cessão do terreno pelo Poder Executivo.
Toda a construção do Centro será custeada pelo Instituto Albatroz por meio de patrocínios que já possui e de outros que possa vir a ter, pois estão abertos a parcerias. O Centro abrigará exposições tecnológicas, atividades socioambientais e culturais para o público local e turístico de Cabo Frio, além de gerar oportunidades de emprego.


De acordo com a coordenadora geral e fundadora do Projeto Albatroz Tatiana Neves, o objetivo do Centro Albatroz é também criar uma área que envolva o público, valorizando a cultura salineira e pesqueira, tão importantes para a Cidade.


“Para o Instituto Albatroz, a cessão dessa área significa uma grande oportunidade de realizar o sonho de trazer para Cabo Frio uma ferramenta turística, educativa e de envolvimento social que possa gerar benefícios para a comunidade do entorno, crianças e jovens e para valorizar a cultura de conservação do meio ambiente marinho da região”, completa Tatiana.


De acordo com a coordenação do projeto, a estimativa é inaugurar o Centro de Visitação Pública e de Educação Ambiental Marinha em julho de 2020, data em que se comemoram os 30 anos de existência do Projeto Albatroz, com condições para receber o público e de realizar as demais atividades do local. Haverá cobrança de ingresso para turistas e visitantes em geral, em valor ainda a ser definido, mas para a comunidade do entorno e para escolas municipais o acesso será gratuito.


Também são objetivos do centro de visitantes a sensibilização do público sobre os patrimônios históricos e naturais de Cabo Frio, ligados às salinas e a atividade de extração do sal, apresentando para o público os aspectos da indústria salineira e da vida dos homens que viveram e vivem dessa atividade na região.


“Tudo o que diz respeito à preservação ambiental conta com o apoio da prefeitura de Cabo Frio, afinal, nossa cidade vive do que o meio ambiente nos proporciona e preservá-lo é preservar o nosso município. O Projeto Albatroz já estava presente em nossa cidade, mas é importante que possamos estar contribuindo com a sua permanência e aumentando sua visibilidade, criando uma consciência ambiental ainda mais forte em nossa população”, afirmou o prefeito, Dr. Adriano Moreno.


Desde 2014, o Instituto Albatroz mantém uma base avançada de pesquisa na Universidade Veiga de Almeida (UVA), no campus de Cabo Frio (RJ). Por meio da parceria com o Grupo de Estudos da Pesca (GEPESCA) e coordenado pelo Professor Eduardo Pimenta, coordenador de Meio Ambiente da Comsercaf. O Projeto pôde ampliar seus estudos para o Porto de Cabo Frio, rota de diversas embarcações de pesca de espinhel com a qual albatrozes e petréis interagem e pela qual são capturados de forma não intencional. No local, são desenvolvidas ações de educação ambiental com os pescadores e público em geral da região. Além disso, também por conta de parceria com a Prefeitura de Cabo Frio, a exposição de fotos Projeto Albatroz: Conservando a Biodiversidade Marinha sensibiliza milhares de turistas do Terminal Transatlântico para a conservação dos oceanos.


Sobre o Projeto Albatroz



Reduzir a captura incidental de albatrozes e petréis é a principal missão, que tem o patrocínio da Petrobras por meio do programa Petrobras Socioambiental. A iniciativa é coordenada pelo Instituto Albatroz, que é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), que atua em parceria com o poder público, empresas pesqueiras e pescadores. Atualmente, o Projeto mantém bases nas cidades de Santos (SP), Itajaí e Florianópolis (SC), Itaipava (ES), Rio Grande (RS) e Cabo Frio (RJ).


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.