Pular para o conteúdo principal

COLUNA BANZO



CATARSE POLÍTICA I

O Brasil vive um momento de catarse política, é isso mesmo, purificação, decantação de tudo aquilo que não presta ou que não houvera de ser.



Temos um ex-Presidente (Lula) preso e outro (Temer) em vias de ser preso também.

Em nosso Estado do Rio de Janeiro temos dois ex-Governadores (Cabral e Pezão) presos e outros dois (Rosinha e Garotinho) com os pés na cadeia também.

Cabo Frio, nossa terra amada, também sofre nesse processo. Os dois ex-Prefeitos (ALAIR e MARQUINHOS) que se revezaram no poder nos últimos 20 anos, ESTÃO IMPEDIDOS DE SE CANDIDATAR pela JUSTIÇA.

CATARSE POLÍTICA II

A ALERJ é a instituição que mais purgou na catarse que ora assinalo.

Dos 70 (setenta) Deputados eleitos, 06 (seis) estavam presos.

André Corrêa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Luiz Martins (PDT), Marcos Abraão (AVANTE), e Marcos Vinícius Neskau (PTB) foram reeleitos e Anderson Alexandre (SD) foi eleito pela primeira vez. Essa turma toda está presa e chegou a ser empossada no cargo (Deputado Estadual) mais tiveram suas posses anuladas pela Justiça.

O ex-Deputado Estadual Coronel Jairo (PSC) e o ex-Deputado Estadual Marcelo Simão (PP) tentaram, e não conseguiram reeleição mesmo estando presos por força de Justiça.

Vale lembrar que as 03 (três) maiores lideranças da Casa Legislativa estão presos e Inelegíveis:  Jorge Picciane, Paulo Melo e Edson Albertassi, ambos do MDB.

CATARSE POLÍTICA III

Os políticos, os agentes políticos e a população em geral tem que ter clareza do processo ao qual estão sendo submetidos.

A alguns POLÍTICOS interessa a retórica e a desinformação pública, pois isso lhes proporcionam uma miserável sobrevida, que só eles não veem que estão com os dias contados.

Para a maioria dos AGENTES POLÍTICOS ficou clara a condição de refém desta máquina maldita, refém preguiçoso e viciado a um modelo ultrapassado de fazer política.

Cabe a população em geral, ao povão, desatar os nós dessa ganância política e romper os grilhões.

IMPRODUTIVIDADE

Desorientados e perdidos pela “traição” das lideranças que alimentavam suas convicções, os agentes políticos e formadores de opinião furtam-se da análise conjuntural e arvoram-se aos ataques e desqualificações a tudo que esteja estabelecido.

É contraproducente o diálogo com quem antecipadamente lhe taxa de “Nazista”, “Facista”, “Racista” e “Homofóbico”.

O PT e o PSOL, assim como toda a esquerda brasileira, estão órfãos e demonstram despreparo na construção de um novo projeto.

Não perco mais tempo discutindo com quem não tem proposta para construção de um novo momento.

ILEGALIDADE

A Justiça Eleitoral devia ter algum dispositivo que responsabilizasse criminalmente o candidato que estivesse INELEGÍVEL e se declarasse “Pré-candidato” ou ainda o título da moda “pré-candidatíssimo”.

Vejo ilegalidade na maneira que isso interfere na construção do pleito, e é também uma tremenda COVARDIA com o povo menos esclarecido que acompanha e briga por esses ESTELIONATÁRIOS.

É isso mesmo ESTELIONATÁRIOS! Quem procede com essa falsidade comete CRIME ELEITORAL, fraudando o pleito em favor de interesses não republicanos.

O dia em que o Blog Cartão Vermelho não se levantar em favor dos mais fracos, ele deixará de existir!!!

MARCOS CHAVES

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.