Pular para o conteúdo principal

CORRENTE DO BEM | Combate ao coronavírus estimula solidariedade entre profissionais e moradores de Arraial do Cabo.

Em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus, a população de Arraial do Cabo está se unindo em uma grande rede de solidariedade, para ajudar as pessoas a enfrentar o isolamento social e seguir a diante. A Cleide Jayne é uma das pessoas que embarcaram no trabalho voluntário.

A costureira começou a confecção de mascaras artesanais com o objetivo de aumentar a proteção contra a doença. Essa foi forma que ela encontrou de fazer sua parte e colaborar com a sociedade, após exercer a profissão durante 40 anos. Cleide já produziu cerca de 500 máscaras utilizando vários tecidos, que já foram doadas.

“Minha filha é enfermeira e sei bem quais são as necessidades, é uma situação crítica que estamos vivendo. Eu percebi o quanto as pessoas precisam de cuidados nesse momento. Aprendi a costurar com minha mãe e já que eu tenho esse dom, decidi utiliza-lo para fazer as máscaras. Estou muito feliz em estar ajudando meus irmãos”, contou Cleide.

Como o material está escasso, a costureira não está conseguindo manter a produção sem receber doações, optando então por cobrar o valor simbólico, de R$ 2,50 por cada unidade, na intenção de continuar ajudando o próximo.

Com a mesmo intensão, a Luiza Guerra, de 35 anos, também embarcou na onda do bem. A jovem, que é coordenadora pedagógica e artesã, buscou modelos e vídeos tutoriais para iniciar a confecção. Até agora, 400 pessoas receberam as máscaras produzidas por ela.

“Comecei de forma repentina. Foi uma inspiração que digo ser divina, daquelas que ouvimos sussurrar em nossos ouvidos. E estava olhando para a minha máquina, materiais que já tinha, e lembrei de uma imagem de uma pessoa com a máscara de pano, e, pronto, iniciei a produção. Anunciei imediatamente no meu Facebook que estaria doando para grupos de risco”, disse a voluntária.

Luiza contou ainda que a máquina de costura quebrou, mas isso não foi empecilho para que o bem continuasse a ser disseminado. Outros voluntários ofereceram máquinas para que a ação não fosse interrompida. “Gastei todos o material que tinha e fui anunciando que precisava de mais. Nossa, foi lindo, as pessoas traziam, e mais eram feitas. Fiz todas como indicado, tecido duplo 100% algodão (tricoline), elástico e amor rs. Desde então, não parei” explicou a artesã.

E como a felicidade é um bem que se multiplica, não é que a Luiza chamou a atenção de outras voluntárias?! A Mariana Andrade, professora conhecida na cidade como Mari, também se prontificou para o bem coletivo.

“Minha inspiração foi a Luiza Guerra, achei um ato muito bonito. A minha família é composta por várias costureiras, mas eu não sabia nem colocar a agulha na máquina. Foi então que aproveitei a quarentena e pedi a minha mãe, a dona Jailse, para me ensinar a costurar. Eu me aventurei e aqui estou. As primeiras não saíram tão boas, mas agora já peguei o ritmo,” contou Mari.

O trabalho em conjunto foi além e agora as máscaras já estão sendo trocadas por 1kg de alimento não perecível, o que vai ajudar outras famílias, em situação de vulnerabilidade no município.

As atitudes solidárias podem inspirar muita gente nesse momento, e foi assim que a notícia sobre a doação das máscaras se espalhou rapidamente e agora é necessário mais material para que a produção continue. Por isso, as meninas da corrente do bem precisam de elástico, tecidos diversos e linhas para costura. Quem tiver interesse em contribuir, basta entrar em contato pelos telefones: (22) 99929-9729 (Mari), (22) 99746-9975 Luiza e (22) 99933-0548 (Cleide).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.