Pular para o conteúdo principal

Paramédica cabofriense que atuava nos Estados Unidos morre de coronavírus


A paramédica cabofriense Liana Sá, de 55 anos, morreu vítima do novo coronavírus, neste domingo (5), em Nova Jérsei, nos Estados Unidos, onde atuava no transporte de pacientes infectados pela doença. Liana morava há dez anos no país da América do Norte. Ela vivia na cidade de Newark. No perfil da médica no Facebook, vários amigos publicaram mensagens de pesar nesta segunda-feira (6).

Em entrevista à TV Globo, o ex-marido de Liana, Claudison Rodrigues, disse que a evolução da doença foi rápida.

– No último plantão dela, ela se sentiu mal, foi para casa e em três dias morreu. Ela estava totalmente exposta – comentou.


Liana havia trocado o plantão para trabalhar mais tempo

O médico Cláudio Agualusa, que foi amigo de infância de Liana em Cabo Frio, confirmou para a Folha que soube por meio de pessoas em comum que a paramédica havia modificado o esquema de trabalho para atuar de forma mais intensa no tratamento de pacientes com Covid-19. Até as 17h desta segunda, os Estados Unidos estão em primeiro lugar no mundo em número de casos confirmados, com 351.890, e o terceiro em mortes, com 10.377.

– Ela era uma pessoa muito dedicada, muito visceral. Segundo informação que eu tive de amigos em comum, o ex-marido disse que ela mudou a escala para estar na linha de frente todos os dias, que falou que não poderia se ausentar, que é um sentimento nosso de profissional de saúde. Na verdade, acho que você até anseia para uma guerra dessa para estar lá como profissional e dizer que escolheu salvar vidas – pondera Agualusa.

No Brasil, Liana Sá atuou por um tempo pela ONG Viva Rio.

Fonte: Folhadoslagos.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.