Pular para o conteúdo principal

SÃO PEDRO DA ALDEIA BATE RECORDE NA GERAÇÃO DE EMPREGOS EM 2019


O município de São Pedro da Aldeia é destaque na geração de novos postos de trabalho em 2019, segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Dos sete municípios da Região dos Lagos, a cidade foi a que apresentou o saldo mais positivo no primeiro quadrimestre do ano. Ao todo, foram registradas 1.668 contratações com carteira assinada, entre janeiro e abril deste ano, e 1.432 demissões, o que significa a criação de 236 novas vagas formais de trabalho – o melhor desempenho alcançado no mesmo período, nos últimos seis anos. A marca é mais do que o dobro do número calculado em 2018, quando o município fechou o ano com 64 empregos gerados.


Para o secretário de Governo, Eronildes Bezerra, o resultado positivo se deve, principalmente, à uma política focada no desenvolvimento econômico do município, que tem sido facilitador para a chegada de novas empresas. “De 2013 a 2018, no governo do prefeito Cláudio Chumbinho, foram abertas 3.540 empresas, o que dá uma média de duas empresas abertas por dia na cidade. Somente no primeiro quadrimestre de 2019, 339 empresas foram inauguradas em São Pedro da Aldeia. Além disso, nós superamos a média de tempo para a abertura de uma empresa no município, pela Junta Comercial, de dois para 2.26 dias. São Pedro da Aldeia hoje está na contramão de tudo o que se tem visto no Estado e isso graças ao entendimento e ao trabalho do prefeito, junto a todas as equipes, reconhecendo a importância da iniciativa privada no fomento da nossa economia e da geração de emprego e renda”, disse.

Na contramão do cenário regional e estadual, São Pedro da Aldeia chegou ao quarto mês do ano com maior número de contratações do que demissões. Somente no mês de abril, 111 empregos formais foram abertos na cidade. O resultado é a diferença entre o número de admissões, que totalizaram 387, e de desligamentos que somaram 276 pessoas, no período. Já no Estado do Rio de Janeiro, a taxa de desemprego subiu para 15,3% no primeiro trimestre de 2019, atingindo 1,358 milhão de pessoas, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


De janeiro a junho deste ano, 339 novas empresas foram abertas em São Pedro da Aldeia, o que significa uma média de 2.26 novas firmas abertas a cada dia. Pela Junta Comercial aldeense, a média para a abertura de uma empresa é de 2.26 dias. O tempo supera, ainda, a média estadual. “Na Junta Comercial do Estado, a estimativa é de 5 dias”, complementou o secretário. Somente em 2018, foram 824 novos negócios instalados no município. Desde 2013, mais de 24 mil pessoas foram contratadas com carteira assinada na cidade, o que coloca São Pedro da Aldeia nas posições superiores no ranking das cidades do Estado do Rio de Janeiro que mais geram empregos. O assunto foi tema de entrevista concedida nesta quinta-feira (06) pelo secretário de Governo à TV Record.



Segundo Eronildes, a criação dos polos comerciais e industriais, a localização estratégica, os incentivos fiscais e as cessões de terrenos públicos podem ser atribuídos aos índices favoráveis do município na geração de novas oportunidades de trabalho. “A gente tem grandes âncoras que são os polos logístico, automotivo e industrial instalados aqui, que trouxeram grandes empresas, como a Coca-Cola, a Minas Rio, a Emapel, a Fiat, a Renoult, entre outras. Quando se cria esses condomínios industriais, automaticamente, se traz emprego e renda. A novidade é que nós estamos fechando agora com o grupo do Ceasa, que já está com uma área de mais de 200 mil metros quadrados no bairro São Mateus, próximo ao grupo Sonda. Ao todo, serão 280 boxes instalados e a estimativa é que passem por ali cerca de um milhão de pessoas por mês. Então, a tendência é que todo esse movimento venha para São Pedro da Aldeia. Se Deus quiser, nós vamos conseguir fechar o ano de 2019, por pior que sejam as expectativas no Estado, com a geração de muitos empregos na cidade”, destacou.


          Segundo o balanço oficial do Caged, no primeiro quadrimestre de 2019, São Pedro da Aldeia teve o seu melhor resultado na área de Comércio, com 824 novos trabalhadores empregados, a maior parte pelo setor varejista. Em segundo lugar, aparece o segmento de Serviços, com 621 admissões registradas na área, sendo a maioria dos setores de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação.


            Outro destaque para o ingresso de pessoas no mercado de trabalho tem sido o Banco de Oportunidades Municipal do Centro de Atendimento ao Trabalhador (CAT). O órgão, que funciona sob a gestão da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, trabalha na captação e encaminhamento de currículos para as empresas interessadas, além fornecer apoio a processos sseletivos e realizar cadastros para o Programa Jovem Aprendiz. Atualmente, o Balcão de Empregos aldeense conta com cerca de 10 mil currículos cadastrados e ativos, incluindo Pessoas com Deficiência, e 500 cadastros atualizados de jovens, entre 14 e 24 anos de idade, em busca do primeiro emprego.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.