LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

terça-feira, 28 de maio de 2019

Plano de Mobilidade Urbana é sancionado em Cabo Frio, no RJ


O Plano de Mobilidade Urbana de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, foi sancionado nesta segunda-feira (27) pelo prefeito Dr. Adriano Moreno (Rede). Segundo o município, o plano terá ações de curto, médio e longo prazo.

De acordo com a Prefeitura, oito produtos estão compilados no plano, sendo eles: Acessibilidade, Planejamento Cicloviário, Transporte Público Coletivo, Transporte Motorizado Individual, Mobilidade e Turismo, Infraestrutura e Planejamento Urbano, Educação para o Trânsito e Transporte de Cargas.

Ainda segundo o município, pesquisas foram realizadas em 60 pontos da cidade onde foram computados o número de bicicletas, de veículos de passeio, motocicletas, ônibus e caminhões. A pesquisa foi o ponto de partida para a idealização do plano.

De acordo com o plano, as ações de curto prazo vão conectar e sinalizar as vias de ciclismo existentes para trazer segurança para ao usuários. A médio e longo prazo, o município planeja a instalação de novos trechos de ciclovias e ciclofaixas interligando os bairros.

Para o Plano de Mobilidade, segundo o município, a cidade foi dividida em 5 regiões compostas por bairros vizinhos e que apresentam semelhanças na estrutura organizacional, chamadas de centralidades. Os bairros são São Cristóvão, Jardim Esperança, Centro, Tamoios e Peró.

O município diz que a publicação do Plano no Diário Oficial e na portal da Prefeitura na internet será feita ainda nesta semana.

Veja o que prevê o plano:

·         No prazo de 0 a 2 anos: revitalização das ciclovias e ciclofaixas já existentes são 35 km mal sinalizados e sem segurança ao ciclista.
·         No prazo de 2 a 5 anos: propõe a construção de novas ciclovias, em ambos os distritos, totalizando uma nova malha cicloviária de aproximadamente 160 km.
·         No prazo de 5 a 10 anos: a integração do sistema cicloviário ao transporte coletivo público, possibilitando a intermodalidade.
·          
Estações de bicicletas compartilhadas

A Prefeitura informou ainda que a intermodalidade é pensada para integrar o uso de bicicleta e do transporte público propondo, por exemplo, a criação de um espaço nos pontos de ônibus para que bicicletas sejam guardadas.

"O morador pode sair de casa de bicicleta e, através de uma ciclovia e ciclofaixa, chegar em segurança até um ponto de ônibus e completar seu trajeto. O mesmo acontece no sentido inverso, com a implantação de estações de bicicletas compartilhadas em pontos de ônibus ou próximos deles", disse o município em nota.


 Fonte: g1.globo.com

0 comentários:

- |