Pular para o conteúdo principal

SÉRIE "SÃO PEDRO DA ALDEIA 402 ANOS" - DE FREGUESIA A POLO INDUSTRIAL



Às margens da maior laguna de água salgada do mundo, São Pedro da Aldeia celebra no dia 16 de maio 402 anos de fundação. Nascida “Aldêa de Sam Pedro do Cabo Frio”, as terras aldeenses eram vistas pelos representantes da Coroa Portuguesa com três objetivos: um ponto estratégico para defender a recém-fundada cidade de Cabo Frio, o Rio de Janeiro e o litoral sul do país; sob o ponto de vista religioso de salvar as almas dos gentios, convertendo-os a religião cristã; e com o objetivo econômico de conquistar e colonizar as terras dos selvagens Goitacazes, situadas entre o litoral norte do Estado e o sertão do Rio Paraíba. Após mais de quatro séculos, um dos pontos se mantém: a localização estratégica.

A trajetória sociopolítica-econômica tem início em 1617, como uma aldeia constituída por 500 índios já catequizados e trazidos do Espírito Santo. “Com o tempo os índios foram envelhecendo e a população não cresceu no mesmo ritmo. Por outro lado, a igreja jesuítica começou a precisar de obras, então a solução foi o homem branco aforar terras aqui”, explica o historiador Geraldo Ferreira.

O aumento da população de homem branco e a aculturação dos indígenas resultaram na extinção da aldeia em 1878. No período imperial, no século XIX, a história aldeense era escrita como uma Freguesia de Cabo Frio. A primeira emancipação veio no ano de 1890, no período da República Velha, quando um decreto assinado pelo então governador Francisco Portella criou o município de Sapeatiba.

A vida do município foi efêmera e se extinguiu em maio de 1892, voltando a integrar o território de Cabo Frio. Mostrando o poder da população aldeense, os habitantes da Freguesia não aceitaram a regressão e, em 17 de dezembro de 1892, a Lei nº 35 restaurou a emancipação política-administrativa, atribuindo o histórico nome de São Pedro da Aldeia. 

Outro grande marco da história aldeense foi a criação da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA), uma organização militar da Marinha do Brasil. Criada em 10 de maio de 1966, a Base é a única do tipo. “Ter a única Base Área Naval do Brasil aqui é muito interessante, mostra que a localização geográfica da cidade foi muito útil no passado, sob o ponto de vista estratégico-militar, e hoje também”, comenta Geraldo Ferreira. 

Se antes o intuito era proteger a cidade vizinha, hoje o município aldeense caminha para se tornar o maior polo de empregos da região. Os investimentos na área de desenvolvimento econômico geram, desde 2013, grandes frutos e fazem da antiga aldeia uma das cidades que mais crescem e se desenvolvem na Região dos Lagos.

Devido à posição geográfica central em relação aos outros municípios da região e às ações do Governo Municipal, é possível atrair e incentivar a instalação de grandes empresas, que geram trabalho e renda para grande parte da população, além de trazer recursos para os cofres públicos. Nos últimos cinco anos, o município registrou em média a abertura de duas empresas a cada dia. Foram 3540. Só em 2018, foram 824.

Dessa forma, é possível investir cada vez mais em áreas como Saúde, Educação, Segurança e bem-estar dos aldeenses.
Ao alcançar a marca de 402 anos de existência, São Pedro da Aldeia e seus moradores celebram dias de progresso e diversas conquistas, que não irão parar por aqui. 

Acompanhe no vídeo uma entrevista especial com o historiador Geraldo Ferreira:

Slide Anterior◀︎Próximo Slide▶︎

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.