Pular para o conteúdo principal

Cabo Frio estabelece cobrança de Tarifa de Trânsito de Passageiros



A Prefeitura de Cabo Frio estabeleceu a cobrança da Tarifa de Trânsito de Passageiros (TTP) para turistas de transatlântico. O valor, que já está em vigor por meio da publicação da lei n°3.120 em 25 de outubro, é de R$ 14 por passageiro em trânsito. O total arrecadado será destinado ao Fundo Municipal de Turismo (FMT), instituído este ano, de forma inédita, no município, e que tem a fiscalização do Conselho Municipal de Turismo (CMT), reativado em julho de 2019.
“É importante destacar que estamos nos esforçando ao máximo para recuperar Cabo Frio como destino dos cruzeiros. É uma tarefa extremamente técnica que estamos tratando com a Associação Internacional de Cruzeiros Marítimos e com os operadores das companhias. Em algum momento nossa cidade perdeu a credibilidade quanto a demonstrar capacidade de receber bem os navios. É essa história que vamos virar daqui por diante. É um processo de reconquista e ele não é retórico. Estamos demonstrando que chegaremos, a médio prazo, como destino competitivo que vai acompanhar o aquecimento da atividade já na próxima temporada”, afirmou o secretário de Turismo, Paulo Cotias.
Segundo ele, o valor é cobrado independentemente da opção do passageiro de vir ou não ao solo porque se trata de taxa de operação. Além disso, a tarifa de operação portuária ou de terminais de desembarque é um elemento que compõe previamente a organização dos cruzeiros marítimos, ou seja, é previsto na composição do preço dos pacotes mesmo que o destino não cobre a tarifa. Cotias esclareceu, ainda, que por ser uma importante receita, a atual gestão municipal adotou medidas, como a reativação do CMT e a implantação do FMT, para que o valor fosse cobrado e para que a taxa fosse atraente e competitiva.
A lei prevê ainda que a tarifa seja reajustada anualmente por decreto e o valor será devido pelas empresas operadoras de cruzeiros marítimos, terão ainda que fornecer todas as informações a Prefeitura para a arrecadação da TTP. De acordo com o documento, “entende-se por passageiro aquele que permanece a bordo da embarcação ou que desembarca no Terminal de Navios Transatlânticos para reembarcar na mesma embarcação complementando a viagem de cruzeiro marítimo”.
A fim de recuperar Cabo Frio como destino de transatlânticos e de garantir a transparência das ações (quanto será cobrado e destinação dos recursos), a Prefeitura estabeleceu o tarifário conforme determina o protocolo da administração pública, ou seja, por meio de mensagem do Executivo à Câmara Municipal.
Operacionalização
Segundo a Secretaria de Turismo, a operação de cobrança será realizada no píer de desembarque e embarque dos passageiros, que de acordo com Cotias, também vai garantir o bom atendimento, a funcionalidade e a organização do fluxo de pessoas.
Escalas confirmadas
Para a próxima temporada 2019/2020, Cabo Frio conta com três escalas confirmadas, sendo uma para janeiro e duas para março, de navios com capacidade estimada de 3.100 passageiros, incluindo tripulação.
De acordo com estudo de impacto econômico do setor de Projetos da Fundação Getúlio Vargas realizado em parceria com a Cruise Lines International Association Brasil (Clia), sete navios operaram na costa brasileira na temporada 2018/2019 transportando cerca de 462 mil cruzeiristas.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.