Pular para o conteúdo principal

Após derrota no TJ, Witzel tenta recurso no STF para suspender processo de impeachment




RIO — Uma semana após ter uma liminar para suspender o processo de impeachment negada pelo Tribunal de Justiça, a defesa do governador Wilson Witzel entrou com nova medida judicial para questionar o rito na Alerj. Dessa vez, a ação é no Supremo Tribunal Federal (STF) e de novo o questionamento é a "desproporcionalidade" da Comissão de Impeachment. O governador é acusado de crime de responsabilidade pelos desvios na área da saúde, em compras e contratos durante a pandemia.

Na nova ação, a defesa do governador usa o mesmo argumento que já havia sido usado no mandado de segurança que está sendo julgado pelo TJ. Os advogados dizem que houve desrespeito ao preceito da proporcionalidade previsto na Constituição, ou seja, partidos com mais deputados deveriam ter mais assentos na comissão. Mas a formação foi feita com um parlamentar de cada partido da legislatura.

Na semana passada, o desembargador Elton Martinez Carvallho Leme não concedeu liminar para suspensão do rito, pois não enxergou "afronta à Constituição, à lei de regência e à inteligência dos precedentes do STF". Agora, a ação do STF foi distribuída para o ministro Luiz Fux nesta quarta-feira.

Desde a autorização da abertura do impeachment, no dia 15 de junho, Witzel vem utilizando recursos jurídicos para questionar o processo. Outros argumentos da defesa são de que faltaram documentações e parecer prévio para abertura do julgamento. Os advogados têm se apegado ao argumento de que muitos dos fatos utilizados para embasar o impeachment constam da investigação sigilosa do STJ, que negou compartilhamento de provas no mês passado.

Em relação à preparação da defesa que tem prazo para entrega à comissão da Alerj até o dia 30, o advogado Manoel Peixinho diz que o objetivo é mostrar que o direito de defesa foi cerceado e que a improbidade administrativa não existe pois não foi "imputado nada ao governador".
Procurada, a Alerj afirmou que "ainda não foi notificada" da ação no STF, mas que a "Casa tem a certeza de que todos os procesimentos legais e constitucionais estão sendo observados, de modo a garantir ao governador o pleno exercídio do direito à ampla defesa e ao contraditório.

Representante do PSB na comissão, o deputado Renan Ferreirinha , lamentou a posição do governador.

— Eles têm falado abertamente da tentativa de questionar o rito. Acho triste, porque todo rito tem sido feito da forma mais democrática possível. O TJ já disse que estamos seguindo de maneira adequada. É direito do governador questionar, mas infelizmente são mais semanas e dias sem saber de fato o que está acontecendo no governo.

Delação de Edmar Santos

Na semana passada, foi noticiada a negociação do ex-secretário de Saúde Edmar Santos por uma delação premiadaEle está preso desde o último dia 10 de julho. Desde então, o governador Wilson Witzel tem repetido que não teme uma possível delação, mas, a proximidade que o ex-secretário tinha com o governador faz com que deputados acreditem que há possibilidade de novas informações relevantes que incriminem o mandatário. Santos era um dos principais aliados do primeiro escalão e, inclusive, já havia sido nomeado para a pasta da Saúde desde o período de transição.

Mas, nos últimos dias, o acordo de delação de Santos tem perdido força, muito por causa da disputa entre o Ministério Público do Rio e o Ministério Público Federal pela liderança na investigação. Há processos correndo nas duas instâncias sobre desvios da saúde. Fontes da Alerj dizem que, hoje, a maior probabilidade é de uma delação do ex-subsecretário Gustavo Borges, que assumiu a vaga após a prisão de Gabriell Neves



Fonte: extra.globo.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.