Pular para o conteúdo principal

Meios de hospedagem em Cabo Frio podem receber turistas a partir de quarta (15)


A partir da próxima quarta-feira (15) os meios de hospedagem em Cabo Frio poderão retomar as atividades desde que sejam atendidas diversas normas de segurança e prevenção ao coronavírus, que constam do Decreto 6.288, de 03 de julho de 2020. Conforme o documento, a ocupação proposta é de 40% e a flexibilização permite apenas o acesso de veículos de passeio. Ônibus e vans de fretamento continuam com entrada proibida na cidade.
“A reabertura gradual e responsável é uma contingência do processo de convivência com a dinâmica imposta pelo coronavirus. É importante a participação de todos na observância dos protocolos para que os riscos sejam minimizados e ampliada a nossa capacidade de dar sustentabilidade ao processo”, afirmou o secretário de Turismo, Paulo Cotias.
Confira abaixo as orientações para a o segmento, de acordo com o decreto municipal:
Anexo II – Meios de Hospedagem
Uso OBRIGATÓRIO DE MÁSCARAS e EPIs (Equipamento de Proteção Individual) para todos os EMPREGADOS E CLIENTES, durante a permanência no local. Só será permitida a retirada da máscara no restaurante no momento do consumo de alimentos e bebidas;
DESINFETANTES PARA AS MÃOS a base de álcool, acessível a todos e em todos os ambientes, entradas e saídas;
DESINFECÇÃO TOTAL DO ESTABELECIMENTO, principalmente de objetos de manuseio coletivo: interruptores, maçanetas, mesas, cadeiras, espreguiçadeiras, máquinas de cartões e chaves;
DISTANCIAMENTO SEGURO E BARREIRAS FÍSICAS, mínimo de 1,5 m de distância entre empregados e entre cliente reduzindo assim a capacidade de atendimento do estabelecimento e, quando possível, inserir barreiras físicas entre empregados e clientes; 
DISPONIBILIZAR CARTAZES COM INFORMAÇÕES / ORIENTAÇÕES sobre a necessidade de higienização de mãos, do uso do álcool 70%, do uso de máscaras, do distanciamento entre as pessoas, da limpeza de superfícies, da ventilação e da limpeza dos ambientes;
Manter os AMBIENTES VENTILADOS constantemente, mesmo os que possuem ar condicionado;
NÃO COMPARTILHAMENTO DOS OBJETOS pessoais ou de trabalho e, em caso de necessidade, esterilizar os mesmos antes de repassar, tais como: telefone, equipamentos de limpeza, computadores, máquinas de cartão, cadernos, fones, pastas, livros, jornais e revistas;
PROIBIDO O MODELO SELF-SERVICE e BUFFET;
MONITORAMENTO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE de empregados e clientes, medir a temperatura de todos na entrada ao estabelecimento e verificar os principais sintomas da Covid-19 e, em caso de suspeita, seguir protocolo de afastamento e desinfecção;
NÃO PERMITIR PERMANÊNCIA DE PESSOAS COM SINTOMAS DA COVID-19 nas aéreas comuns do estabelecimento;
• Treinamento de 100% dos empregados nos procedimentos padrão de prevenção e de processos de emergência em caso de contaminação;
• Providenciar o controle de acesso, a marcação de lugares reservados aos clientes e a organização das filas para que seja respeitada a distância mínima de 1,5 m (um metro e meio) entre as pessoas;
• Atendimento preferencial a grupo de risco, idosos, hipertensos, diabéticos e gestantes garantindo fluxo ágil para que essas pessoas permaneçam o mínimo de tempo possível na recepção do estabelecimento;
• Priorizar preenchimento de fichas de check-in antecipados;
• Para check-outs, entregar os fechamentos no apartamento e possíveis dúvidas serem tiradas por telefone;
• Limpeza e redução de capacidade máxima dos elevadores, assim como o incentivo ao uso de escadas;
• Isolar as áreas sociais e de convivência. Porém, locais como sala de jogos e piscinas estão liberadas para funcionamento, mas com restrições;
• Vedado o acesso às áreas de piscinas, saunas e congêneres;
• Distância de 1,5 m entre as camas e somente uma pessoa por beliche, quando houver;
• Isolamento ou controle de acesso as áreas compartilhadas, tais como: cozinhas, sala de TV, salas de convivência, áreas comum em geral.
HOTELARIA – PARTE POR PARTE, RECEPÇÃO E LOBBY
• Disponibilizar os avisos públicos sobre a prevenção e controle da doença contagiosa nas TVs e displays do lobby, balcão e hall de elevadores, contendo os telefones de hospitais e postos próximos (conforme orientado pelo Ministério da Saúde);
• Disponibilizar equipamento (desinfetado) de medição de temperatura para cada hóspede que solicitar. Recomenda-se que a desinfecção com álcool 70% seja feita ao entregar E ao receber o equipamento;
• Manter, sempre que possível, as portas do hotel abertas para ventilação do ambiente;
• Remover temporariamente jornais, revistas e livros do lobby para evitar infecções cruzadas;
• Tomar medidas eficazes de desinfecção de malas de hóspedes. O mensageiro deve desinfetar com álcool 70% a alça da mala, o puxador do zíper e o cadeado/lacre. Se necessário, oferecer ao hóspede a desinfecção total da mala;
• O cartão-chave deve ser efetivamente desinfetado com álcool 70% ao ser recebido e antes de ser reutilizado. Recomenda-se que o recepcionista não pegue o cartão da mão do hóspede, e sim que o hóspede deposite o cartão-chave em local específico;
• Disponibilizar álcool 70% para higienização de equipamentos e utensílios;
• Desinfetar regularmente com álcool 70% equipamentos de uso contínuo, como por exemplo, teclados, telas e monitores de computadores, tabletes e smartphones, bancadas de trabalho, telefones, canetas, carrinhos de bagagens, etc;
• Disponibilizar álcool em gel em frasco dosador para higienização de mãos colocada em cada balcão da recepção e lobby;
• Disponibilizar álcool em gel em frasco dosador para higienização de mãos colocada em cada banheiro público com avisos lembrando os hóspedes sobre a importância de lavar as mãos;
• Registrar qualquer evento coletando o máximo de informações: nome, horário, local, documento, procedimentos adotados, período de hospedagem, etc;
• Aumentar a frequência de limpeza/desinfecção, por exemplo, nas áreas a seguir: maçanetas de porta, botões de entrada, painéis de toque de porta oscilante em todas as áreas públicas; botões de acesso de elevador de hóspedes em todos os halls de elevador; botões de painel de elevador de hóspedes e corrimãos nos elevadores; escadas rolantes, escadas e todos os corrimãos das áreas sociais; banheiros de hóspedes com todas as superfícies de balcão e maçanetas de portas desinfetadas;
• Toda a equipe, principalmente mensageiros e manobristas, deve estar atenta às seguintes situações: higienizar as mãos após carregar malas e bagagens; higienizar as mãos após a abertura de portas de carros e manobra de veículos;
• Evitar apertos de mãos ou higienizá-las após contato. Utilizar luvas descartáveis para realizar suas atividades, caso necessário.
APARTAMENTOS E CORREDORES
• Garantir tempo de ventilação natural para apartamentos e corredores de, no mínimo, 2 horas por dia;
• Adotar medidas eficazes de desinfecção rigorosa com desinfetante e álcool 70% na área dos apartamentos: Desinfecção eficaz de móveis, louças e metais sanitários Lavar o ralo do chão com desinfetante diluído Desinfecção dos amenities, diretórios, aparelhos telefônicos, controles remotos, interruptores e maçanetas com álcool 70% Finalizar a limpeza de xícaras, canecas e copos dos quartos com álcool 70%;
• Remover temporariamente revistas e livros para evitar infecções cruzadas;
• Sugerimos utilizar luvas ao retirar o enxoval, limpar e desinfetar (reforço na utilização dos EPIs);
• Os colaboradores devem ser bem treinados e tomar precauções eficazes;
• Disponibilizar avisos para que os hóspedes reutilizem suas toalhas usadas para reduzir a possibilidade de infecção cruzada;
• Ajustar a frequência de limpeza/desinfecção, por exemplo, nas áreas a seguir: Maçanetas de portas, barras de apoio, barras de abertura, painéis de toque de porta oscilante nos corredores; Botões de acesso de elevador, barras de apoio e corrimãos; Todos os corrimãos das áreas de apoio;
• Limpar e desinfetar frequentemente com álcool 70% utensílios de alta utilização (vassouras, aspirador de pó, alça de balde, suportes de carrinhos, pranchetas, canetas, rádios, aparelhos, etc).
RESTAURANTES
• O salão deve ter boas condições de ventilação e garantir o bom funcionamento das instalações de ventilação mecânica;
• Aumentar a distância entre as mesas no restaurante minimizando o contato entre hóspedes no ambiente de refeições;
• Recomenda-se fechar as áreas sem ventilação natural ou ar fresco;
• Colaboradores do restaurante devem lavar e desinfetar bem as mãos antes do serviço com álcool 70%;
• Reforçar medidas de desinfecção para os utensílios de mesa e implementar o sistema de inspeção;
• Se necessário ou solicitado, talheres descartáveis podem ser fornecidos;
• Os cardápios devem ser efetivamente desinfetados com álcool 70%;
• Disponibilizar álcool em gel em frasco dosador para higienização de mãos colocada em local de fácil acesso aos hóspedes e clientes; e utensílios de Buffet com maior frequência;
• Recomenda-se temporariamente não montar mise en place de mesa para evitar contaminações cruzadas, bem como deixar utensílios em local único para retirada pelos hóspedes. Talheres devem estar em embalagens individualizadas;
• Retirar todos os utensílios e limpar saleiros, pimenteiros, mesas e cadeiras com álcool 70% ou lenços umedecidos desinfetantes após a saída do hóspede;
• Toda a equipe, e principalmente garçons e Cummins devem estar atentos às seguintes situações: Higienizar as mãos depois de retirada de louças e utensílios usados Evitar apertos de mãos, ou higienizá-las após contato. Utilizar luvas descartáveis para realizar suas atividades, caso necessário COZINHA;
• Responsável deve realizar palestra de orientação com toda equipe;
• Operar estritamente de acordo com o disposto nas normas de Segurança Alimentar e orientações do responsável;
• Equipar todas as áreas da cozinha com produto para desinfecção das mãos, como álcool-gel;
• Reduzir e controlar rigorosamente o acesso de pessoas externas às áreas de produção e manipulação de alimentos, incluindo fornecedores.
• Toda e qualquer pessoa que precise entrar na cozinha deve lavar as mãos e desinfetá-las corretamente;
• Orientar e disponibilizar material sobre o correto processo de lavagem das mãos;
• Notificar fornecedores de que não é permitido deixar pessoas com problemas de saúde realizar entregas;
• Tomar medidas rigorosas de desinfecção de tábuas de cortar alimentos e utensílios de cozinha;
• Limpar e desinfetar diariamente com álcool 70% portas de equipamentos de alta utilização (fornos; geladeiras, freezers), bem como equipamentos em geral (batedeiras, liquidificadores, processadores, etc.)
• Devem ser realizadas inspeções diárias pela gerência em todas as áreas de preparo e serviço de alimentos para garantir que os métodos de limpeza e higienização sejam seguidos e realizados de modo consistente LAVANDERIA;
• Garantir a ventilação em todas as áreas da governança e lavanderia;
• Aplicar medidas eficazes para garantir a segurança das equipes durante o processo de lavagem e contagem do enxoval;
• Sugerimos utilizar luvas para realização da coleta, separação e contagem do enxoval;
• Notificar lavanderia terceirizada que não é permitido deixar pessoas com problemas de saúde realizar coletas e entregas;
• Limpar e desinfetar frequentemente com álcool 70% portas de equipamentos de alta utilização (lavadoras e secadoras), bem como equipamentos em geral (ferro de passar, etc.)
REFEITÓRIO E SALA DE DESCANSO
• Ajustar a frequência de limpeza/desinfecção com álcool 70% , por exemplo, a cada hora, das salas de descanso de colaboradores, incluindo maçanetas de porta, metais, superfícies, balcões, controles, etc;
• Remover temporariamente jornais, revistas e livros das salas de descansos para evitar infecções cruzadas;
• As salas de descanso e refeitórios devem ter boas condições de ventilação e garantir o bom funcionamento das instalações de ventilação mecânica;
• Os utensílios de mesa utilizados nos refeitórios devem ser desinfetados corretamente com álcool 70% antes e depois de sua utilização;
• Disponibilizar álcool em gel em frasco dosador para higienização de mãos para que os funcionários lavem e desinfetem as mãos antes de comer;
• Disponibilizar álcool em gel em frasco dosador para higienização de mãos colocado nos vestiários de colaboradores com avisos lembrando os hóspedes sobre a importância de lavar as mãos;
• Disponibilizar cartazes com o procedimento correto de lavagem de mãos no refeitório e vestiários.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.