LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

sexta-feira, 31 de julho de 2020

Prefeitura de Cabo Frio é avaliada pelo Ministério Público como a segunda administração com o melhor Controle Interno do estado


A Prefeitura de Cabo Frio recebeu a nota 8.03 na segunda etapa do Projeto Edificando o Controle Interno, do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. O objetivo desse projeto é estimular a transparência nas ações do Poder Executivo, avaliando a eficácia de canais de acesso à população, como Controladorias, Ouvidorias, Corregedorias e Auditorias Internas.


O projeto que avalia a administração pública foi idealizado pelo Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania, do MPRJ. Técnicos também monitoram periodicamente como os municípios incrementam dados que ajudem o controle interno.



O MPRJ analisa 7 quesitos, como transparência, auditoria, atendimento ao cidadão e controladoria, por exemplo. Também foram realizadas consultas nos Portais da Transparência, analisando a prestação de contas, por exemplo, por meio da Escala Likert.



O ranking 2020 do Projeto Edificando o Controle Interno, as autarquias estaduais e municipais também foram avaliadas. Das 45 analisadas em todo o Estado do Rio de Janeiro, a Consercaf (Companhia de Serviços de Cabo Frio) ficou na sexta posição, com nota 7.1. O Prefeito de Cabo Frio, Dr. Adriano Moreno, ressaltou a importância desse reconhecimento para o município.



“É com grande satisfação que, em dois anos de governo, eu consigo transformar uma prefeitura que tinha pouquíssima credibilidade e hoje está no patamar das prefeituras com maior grau de transparência. Isso é muito importante – não para o prefeito, mas para a cidade de Cabo Frio que ficou renegada, em segundo plano, durante muitos anos”, declarou o prefeito.



O relatório completo está no site do MPRJ: http://www.mprj.mp.br/documents/20184/1180942/RelatorioECI.html.


0 comentários:

- |