Leal Porto

Leal Porto

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2647-5341

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Como Assim Doutor? Por Leticia Jotta


Essa foi a pergunta de Maria Lucíneia, 39 anos, ao descobrir que sua filha Sheila Araújo de 14 anos de idade havia sido diagnosticada com câncer de mama. A família de Sheila temia o pior, pois a adolescente estava grávida e eles não queriam imaginar que a jovem pudesse perde o seio.

A filha de Sheila nasceu bem e com saúde, porém Sheila voltou a sentir um caroço no mesmo seio; o tipo de câncer que Sheila teve tem grande possibilidade de retornar, em casos reincidentes, aumenta a possibilidade de retirada da mama. A biópsia já foi feita e a família aguarda o resultado.

O câncer de mama, em especial, é considerado raro entre adolescentes, mas o número de casos vem crescendo a cada ano, essa doença atinge pelo menos 1 em cada 100 mulheres no Brasil, isso dos 13 aos 16 anos, 1% das adolescentes brasileiras, o agravante nesses casos é que o câncer nos adolescentes costuma ser mais agressivo do que nos adultos.

Assim como  a dona Maria Lucíneia e a Sheila, muitas pessoas desconhecem o câncer infanto-juvenil, acreditando talvez, que  o câncer de mama é mais propício nas mulheres com mais idade. 

Tenho lido a respeito e o que me causa espanto é saber que o tratamento de adolescentes com câncer é pouco estudado em comparação ao das crianças e adultos, não é somente isto, a Região Sudeste é que apresenta os maiores números de casos e o nosso estado tem o primeiro lugar neste ranking. 

A partir de agora irei intensificar as informações em minhas páginas das redes sociais em relação a todos os tipos de cânceres com todas as informações possíveis (retirada de fontes como o INCA) para a nossa população.

A gente precisa SE TOCAR. 

Até a próxima coluna, 

Vereadora Leticia Jotta
Com a nossa gente. Sempre!

0 comentários:

- |