Pular para o conteúdo principal

Desabafo de uma Mãe - Eu Não Apoio Mais a Greve dos Professores de Cabo Frio


Caríssimos Profissionais da Educação da Cidade de Cabo Frio.

Neste momento tão difícil, em que foi decidido ficar em greve por tempo indeterminado, gostaria de prestar minha solidariedade e apoio a luta de cada um de vocês... Mas não posso.

Não posso porque fiz isso no ano passado e acabei sendo prejudicada diretamente, pois meu filho encerrou o ano letivo aos oito anos, sem saber ler nem escrever no segundo ano do Ensino Fundamental. Não posso porque, como meu filho não sabia nem ler nem escrever, fui obrigada a pedir à escola que o reprovasse, para que os danos futuros fossem minimizados. Não posso porque é graças aos meus esforços, ao trabalho dedicado de uma fonoaudióloga e com a ajuda financeira de uma pessoa muito especial, que meu filho hoje consegue ler e escrever. Não posso porque os profissionais da escola não notaram que meu filho tinha distúrbio de aprendizado e tive que correr atrás e descobrir com a fono o que estava acontecendo. Não posso, porque enquanto eu apoiava a greve do ano passado, vi diversas mães perderem seus empregos por não ter onde deixar seus filhos no horário em que os mesmos deveriam estar na escola. Não posso porque vi diversas famílias perderem seus benefícios sociais porque o ano letivo só foi começar em abril e os pais não tinham como pegar declaração escolar, uma vez que o ano letivo de 2016 não tinha encerrado e o prazo de atualização do benefício estava vencido. Fui compreensiva e apoiei a causa no ano passado pois a categoria ficou mais de três meses sem receber. Mas então, me dei conta de que todos os funcionários públicos municipais de Cabo Frio passaram pelo mesmo e não pararam seus serviços...

E agora, todos também estão com salários atrasados há dias (não meses, como foi no governo passado) e ninguém tá parando, só vocês... E olha que vocês receberam no começo do ano boa parte do que estava atrasado...

Por fim, se enquanto profissionais da educação representados pelo sindicato, vocês decidiram acatar a orientação de greve por tempo indeterminado, eu, enquanto mãe, representante e responsável pelo meu filho e seu futuro,  com todo respeito: não apoio está greve!

PS: Também sou professora e funcionária pública, mas acima de tudo sou mãe!

Do Blog Cartão Vermelho:

O desabafo foi feito pela servidora municipal, Silvana Braga, através da rede social Facebook.

Comentários

  1. Dona Silvana, boa tarde.
    Eu posso apio a greve, pois ficar com suas contas atrasadas e triste é o cúmulo, pois a pessoa quer pagar e não pode honrar com suas dividas pois a prefeitura não paga. Dinheiro para pagar aluguel de 39mil em 1 carro e pagar a manutenção do mesmo no valor de 80mil e fácil quero ver e pagar Os Salários dos servidores em dia. Pois não posso pedir aos bancos, mercados, cartões, luz, água, internet, tv acabo e etc. Que esperem, pois os mesmos não quer saber.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.