Pular para o conteúdo principal

Prorrogação do auxílio emergencial: entenda como deve ser o pagamento




A prorrogação do auxílio emergencial, confirmada na tarde desta terça-feira (30/06) pelo governo de Jair Bolsonaro, prevê o pagamento dos R$ 600 por mais dois meses. Porém, não deve entregar esses R$ 600 aos trabalhadores de uma única vez: a ideia do governo é dividir o auxílio ao longo do mês, depositando uma parte dos R$ 600 no início e o restante no fim do mês.

O faseamento das próximas parcelas dos R$ 600 foi ventilado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo ele, é uma forma de fazer com que as duas parcelas extras do auxílio ajudem os trabalhadores ao longo de três meses. "Ficamos com poucos recursos e precisamos estender isso ao máximo", argumentou.

Esta também é uma forma, contudo, de atender ao desejo do presidente Jair Bolsonaro de fazer uma redução gradativa do auxílio. Bolsonaro vinha defendendo a prorrogação do auxílio com parcelas de R$ 500, R$ 400 e R$ 300. Porém, decidiu manter o valor mensal do benefício em R$ 600 para não correr o risco de ver o benefício sendo ampliado pelo Congresso Nacional novamente.

"Oficialmente, são mais dois meses de R$ 600. Isso é o que a lei permite. Mas, se nós tivermos a percepção quanto à possível duração um pouco mais extensa ou não dessa crise, podemos pegar os dois pagamentos de R$ 600 e fasear de uma forma que cubra três meses. Estávamos em R$ 600, podemos fazer um pagamento de R$ 500 no início no mês, R$ 100 no final do mês com R$ 300 logo depois. Ou seja, fica uma prestação de R$ 500 no início do mês, outra de R$ 400 logo depois e outra no fim do mês de R$ 300. Acaba cobrindo três meses com R$ 500, R$ 400 e R$ 300", discursou Guedes, na cerimônia de prorrogação do auxílio emergencial.

Ou seja, a ideia é pagar R$ 500 no início de julho e R$ 100 no fim de julho. E, depois, pagar R$ 300 no início de agosto, com mais R$ 300 no fim de agosto. Porém, os valores exatos desse faseamento ainda não foram confirmados pelo governo federal.

Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães explicou que a lei determina o pagamento de R$ 600 no mês, mas não impede a divisão desse valor em mais de uma parcela, desde que essas parcelas sejam pagas dentro do mesmo mês. Por isso, o assunto está sendo discutido no governo. 

"Serão R$ 600 para a parcela 4 e R$ 600 para a parcela 5. Os R$ 600 serão pagos durante um mês e os outros R$ 600 durante o outro mês. Como será pago? Será pago por depósito na conta digital. Será um depósito só ou dois em um mês? É exatamente isso o que falta para que a gente possa anunciar o cronograma no detalhe", afirmou.

Guimarães garantiu, contudo, que o cronograma de pagamento da quarta e da quinta parcela deve ser concluído e anunciado nos próximos dias. "Já temos um calendário, já discutimos entre a Cidadania e a Caixa. Só falta a validação do presidente, que entendo que será feita muita rápida", revelou.

O presidente da Caixa antecipou, por outro lado, que o pagamento do auxílio emergencial continuará nos moldes atuais. Ou seja, primeiro será feito de forma digital nas contas sociais da Caixa e só depois de algum tempo será liberado o saque em espécie e a transferência bancária desse dinheiro. 

Guimarães reconheceu ainda que o saque em dinheiro desses recursos devem demorar, já que o saque da terceira parcela ainda nem começou. Mas garantiu que os depósitos digitais serão rápidos e vão permitir que as pessoas paguem suas contas e façam compras pelo aplicativo Caixa Tem. 

Ele também informou que, para evitar aglomerações e idas desnecessárias às agências da Caixa, o governo pode fasear o pagamento de cada parcela dos R$ 600 pelo meio digital, mas permitir o saque dos R$ 600 de uma única vez quando chegar a hora dessa retirada presencial.

"Provavelmente, o saque será em um calendário mais compacto que o depósito digital, porque o depósito entra automaticamente na conta digital e é muito fácil de utilizar. Não interessa tanto se entrou X no dia 10 e Y no dia 25, porque você utiliza digitalmente. Já o saque sim", esclareceu.

Pedro Guimarães avisou também que, apesar dessas discussões, é provável que não haja mudanças no pagamento do Bolsa Família. O faseamento das próximas parcelas deve valer, portanto, só para os demais trabalhadores informais. Afinal, os beneficiários do Bolsa Família têm recebido os R$ 600 no dia tradicional de pagamento do Bolsa.

O presidente da Caixa ainda avisou que os cerca de 65 milhões de brasileiros que já estão recebendo os R$ 600 não precisam se cadastrar novamente para ter acesso às duas parcelas extras do benefício, pois a prorrogação será automática para todos esses trabalhadores.

Fonte: correiobraziliense.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tribunal do Tráfico decapita Homem na noite deste sábado na Favela do Lixo em Cabo Frio

Um crime bárbaro acaba de acontecer na noite deste sábado (23/05) em uma das maiores comunidades do interior do Estado do Rio de Janeiro, bairro Manoel Corrêa mas conhecido como Favela do Lixo em Cabo Frio. Segundo informações de populares que preferiram manter o anonimato, um homem chamado Matheus teria sido torturado pelo Tribunal do Tráfico e em seguida foi decapitado, o motivo do crime seria por Matheus ser informante da polícia, na linguagem do crime ele seria um X9. A Polícia Militar está nesse momento fazendo levantamento do crime e pegando a identificação completa da vítima, até o momento não foi lavrada a ocorrência, e traremos mais informações conforme o andamento das investigações. As imagens são fortíssimas e não recomendada para pessoas sensíveis.

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

  O LOBO EM PELE DE CHACAL!   “TSE defere candidatura e José Bonifácio tomará posse como Prefeito de Cabo Frio” “Em decisão monocrática o Ministro Alexandre de Moraes deferiu o recurso de José Bonifácio” Na sexta-feira (18/12) por volta das 18:00 horas as manchetes acima surpreenderam alguns incautos cabofrienses, e deixaram duas sérias indagações no ar: - O que motivou o Ministro Alexandre de Moraes, relator do processo, a evitar o julgamento pelo colegiado do Tribunal Superior Eleitoral? - A séria motivação impeditiva deixou de existir apenas duas horas depois de iniciado o “recesso” do tribunal?   Bem... o editorial do Blog Cartão Vermelho não possui todas as respostas, porém, cumprindo sua principal missão de trazer luz aos fatos, assinala agora a ação vil, perdulária e principalmente venal que acometeu a defesa do Sr. José Bonifácio.   Os advogados que patrocinaram a causa de Zezinho, fazem parte de uma bancada respeitadíssima nacionalmente, é uma das mais cara