LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

sexta-feira, 10 de julho de 2020

Trabalhador rural é morto a tiros em área onde policiais de folga foram baleados em São Pedro da Aldeia; Polícia acredita em disputa por terras


Acampamento foi alvo de incêndio criminoso na última segunda-feira (6) em São Pedro da Aldeia, no RJ — Foto: Arquivo pessoal

Um trabalhador rural foi morto a tiros no acampamento Emílio Zapata em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio. O corpo de Carlos Augusto Gomes, de 58 anos, foi encontrado na tarde desta quinta-feira (9), um dia após dois policiais terem sido baleados num confronto na localidade. A principal linha de investigação da Polícia Civil é de que o conflito tenha sido motivado por uma disputa por terras na área, que passa por desapropriação.
Um fazendeiro da região, ainda segunda a polícia, afirmou que os dois policiais atingidos nesta quarta-feira (8) são amigos dele e estavam de folga. A polícia não soube precisar o número de pessoas envolvidas no confronto. Os policiais feridos foram levados para o pronto-socorro de São Pedro da Aldeia e transferidos para Hospital Regional Roberto Chabo, em Araruama. Segundo a unidade, o quadro de saúde deles é considerado estável.
O corpo da vítima, nascida em Caiana (MG), segundo o registro de ocorrência, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Macaé.
De acordo com o ouvidor agrário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) Rio de Janeiro, Luiz Carlos de Andrade, na segunda-feira (6), homens encapuzados teriam entrado no acampamento e colocado fogo no local.


Segundo o ouvidor, o Incra já conseguiu a posse de uma parte do assentamento Adhemar Moreira, onde vivem 40 famílias e fica próximo ao acampamento onde ocorreu o confronto. Um processo na justiça ainda está em andamento para que o instituto tenha a posse da outra parte da localidade.
O Incra acrescentou que o instituto não faz gestão de acampamentos e que, após tomar conhecimento do confronto, emitiu uma nota informando que enviou um técnico de campo e o Conciliador Agrário Regional para acompanhar a situação in loco e tomar as providências cabíveis.
O Incra reforçou que a área sob conflito faz parte da antiga Fazenda Negreiros, ainda objeto da ação de desapropriação que tramita na 1ª Vara Federal de São Pedro da Aldeia. A procuradoria do Incra expediu um ofício ao Ministério Público Federal com o relato dos acontecimentos.


Homens encapuzados invadiram acampamento e atearam fogo no local em São Pedro da Aldeia, no RJ — Foto: Divulgação

O assentamento fica em uma área de 484 hectares, que já foi desapropriada. A Fazenda Negreiros tem uma área de 1.351 hectares.

MPF quer PF no caso

O procurador da República, Leandro Mitidieri, disse que o MPF entrou em contato com o Incra assim que tomou conhecimento do caso.

"Agora chega a informação de que foi encontrado o corpo de um dos trabalhadores sem-terra lá do assentamento. A Fazenda Negreiros é objeto de uma ação de desapropriação do Incra. Houve a imissão da posse parcial e é necessária a conclusão desse processo. A conclusão de ações de desapropriação traz mais estabilidade a essas situações conflituosas", disse Mitidieri.

O procurador destacou que o MPF ainda está colhendo os dados e afirmou que, se os crimes foram em decorrência desse conflito agrário, o MPF vai requisitar a instauração de inquérito policial pela Polícia Federal.

O G1 questionou as polícias Civil e Militar sobre a presença dos policiais militares de folga no local e qual a relação deles com o caso.

A Polícia Militar informou que o 25ºBPM instaurou um procedimento para verificar as circunstâncias do fato.

A Polícia Civil disse que as investigações estão em andamento na 125ª DP e que testemunhas estão sendo ouvidas. Diligências estão em andamento para apurar as circunstâncias do fato.

Fonte: g1.globo.com

0 comentários:

- |