Pular para o conteúdo principal

Inea e municípios da região monitoram avanço de óleo no mar


O avanço contínuo das manchas de óleo pelo mar, a partir do litoral do Nordeste, acendeu o sinal amarelo para as autoridades ambientais do estado do Rio de Janeiro, uma vez que a poluição já atingiu praias do sul da Bahia. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) informou ontem que encontra-se em estado de vigilância e que já tem um Plano de Contingência institucional, que abrange a possível chegada do óleo nas praias fluminenses.
A situação está sendo monitorada em alto-mar, pelo Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), composto pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a Agência Nacional de Petróleo (ANP), e a Marinha do Brasil. Os órgãos federais repassam as informações obtidas para o Inea.
Apesar da mobilização, o órgão ambiental estadual disse que o Ibama garantiu que não foram identificadas manchas em alto-mar, nem tendência de deslocamento para as proximidades do Estado do Rio. Contudo, as medidas de prevenção estão sendo tomadas para que a costa fluminense não seja impactada pela tragédia ambiental. 
Entre as ações planejadas pelo Inea, está a capacitação do corpo técnico da Defesa Civil Estadual e dos 25 municípios costeiros, além de vários setores do próprio órgão para atuação em caso de surgimento de óleo nas praias fluminenses. O treinamento terá técnicas de avaliação de cenário emergencial; coordenação de ações para limpeza das praias; e destinação ambiental adequada do resíduo recolhido.
A primeira capacitação será voltada para técnicos das superintendências regionais, gestores das unidades de conservação estaduais, como o Parque Estadual da Costa do Sol; a Gerência de Fauna do Inea, e a Defesa Civil Estadual. Um grupo de trabalho especial também foi formado pelo Governo do Estado, no fim de outubro, para acompanhar a situação. O grupo é coordenado pela secretária do Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lúcia Santoro, e composto por técnicos da Secretaria de Meio Ambiente e do Inea.
Municípios vão se reunir com a Petrobras 
Não é apenas o Inea que está em alerta com a possível chegada das manchas de óleo vindas do Nordeste. Os governos de Cabo Frio, Armação dos Búzios e Arraial do Cabo se articulam para a tomada de medidas conjuntas de prevenção a uma possível chegada das manchas de óleo nas praias da região, às vésperas da alta temporada.
Depois de amanhã, uma reunião entre representantes das prefeituras e da Petrobras, na sede da empresa, no Rio, vai definir uma plano de ação para preparar os municípios.  A situação é considerada preocupante, uma vez que os equipamentos de contenção prometidos pela estatal petrolífera, que deveriam ter chegado desde 26 de setembro, ainda não estão disponíveis. A cessão dos equipamentos foi definida por intermédio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado junto ao Ministério Público, por causa do vazamento de óleo ocorrido em abril nas praias da região. O acordo também previa um treinamento ministrado pela empresa para servidores do município, o que foi cumprido. 
De acordo com Secretário de Meio Ambiente de Búzios, Fernando Savino, foi entregue ao Ministério Público um ofício comunicando o não cumprimento do acordo, pois os equipamentos não foram entregues até o momento. 
– Já estamos traçando estratégias para a possível chegada de óleo, os pescadores estão em alerta para avisarem caso encontrem manchas no mar – explicou o secretário.
O colega de cargo em Cabo Frio, Mário Flavio Moreira, evitou alarde, mas admitiu que está preocupado com o quadro.
– Diria que a gente tem que ter cautela e esperar. A princípio, não tem nenhuma ocorrência para o Sudeste, mas, como foi encontrado óleo no sul da Bahia, isso nos preocupa, porque as correntes podem virar, por algum fenômeno natural e trazer esse óleo pra cá, principalmente o óleo que está no fundo. Uma ressaca pode revolver o óleo, estamos vivendo um momento de ressaca. A preocupação real existe, e vamos monitorar contando com apoio da Petrobras e do Ibama, que são os órgãos responsáveis por essa atribuição – comentou.
 Fonte:Folhadoslagos.com


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.