Pular para o conteúdo principal

Após pedido para liberação de ônibus de turismo, Prefeitura de Cabo Frio reafirma que não fará novas flexibilizações


 

A Prefeitura de Cabo Frio reafirmou, nesta quinta-feira (27), que seguirá a recomendação do Ministério Público Estadual e não fará novas flexibilizações nas atividades econômicas. Desta forma, não será atendido o pedido feito pela Associação de Hotéis para que seja liberada a entrada de ônibus de excursão já agendados para o feriado da Independência. Um documento com os pedidos do segmento foi entregue pelo presidente da entidade, Carlos Cunha, ao secretário de Turismo, Manoel Vieira, na última terça-feira (25).

 

No entanto, o governo municipal deixou claro que não pretende arcar sozinho com novas liberações. Em questionamento feito pela Folha, a Prefeitura informou que as reivindicações do setor hoteleiro foram encaminhadas ao MP-RJ e também ao Ministério Público Federal. Um pedido feito por donos de cursos profissionalizantes para a retomada das aulas, com todos os cuidados sanitários, também foi encaminhado para as autoridades.

 

No caso do ramo de hotelaria, os empresários alegam que as agências de viagem já tomaram as medidas sanitárias necessárias para o transporte seguro e que os meios de hospedagem se comprometem a fazer o mesmo. No documento, a entidade também afirma que o cancelamento das viagens causaria prejuízos não apenas financeiros como na imagem de Cabo Frio como destino turístico.

 

Em matéria publicada na edição impressa desta quinta (27), o presidente da Associação de Hotéis, Carlos Cunha, disse que a liberação dos ônibus para setembro é ‘direito adquirido’, uma vez que as excursões foram vendidas com base no decreto de 30 de julho, que permitia a entrada de ônibus de turismo, e antes do decreto que proibia o acesso, de 19 de agosto.

 

– Sendo assim, juntamos os comprovantes de venda destas reservas e enviamos a prefeitura, mostrando que, quando vendemos, estávamos autorizados a tal e, desta forma, não podemos sofrer as sanções legais pelo cancelamento. Estamos falando de uma pequena quantidade de ônibus, apenas seis para o feriado, que podem ser facilmente acompanhados. São excursões que seguem todos os protocolos de segurança, tanto pelos agentes de viagem, quanto pelos hotéis, sendo que os passageiros têm que apresentar até atestado médico para embarcar. Precisamos somente que consigam chegar aos hotéis, não pedimos livre circulação dos ônibus para passeios – disse Cunha.

 

Protesto – No fim da tarde desta quinta-feira (27), ambulantes fizeram um protesto na Ponte Feliciano Sodré, que chegou a ter o trânsito interrompido. O grupo cobrava uma solução da Prefeitura quanto à proibição de volta ao trabalho nas praias. Os trabalhadores cobram igualdade no tratamento, já que formam um dos únicos setores que ainda não teve a volta flexibilizada. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.