Pular para o conteúdo principal

Negão da BL se irrita em live ao debater sobre racismo e discurso repercute na internet


 Negão da BL se irrita em live ao debater sobre racismo e discurso repercute na internet — Foto: Reprodução

Uma live com o funkeiro Matheus Bento, o MC Negão da BL, em uma casa de shows em Rio das Ostras, na Baixada Litorânea do Rio, na última quarta-feira (26), entrou para os assuntos mais comentados do Twitter após o cantor se irritar com os apresentadores ao abordar o assunto racismo durante a transmissão.

O desentendimento aconteceu depois do funkeiro de 23 anos, conhecido pelas publicações de humor ao lado da mãe, afirmar que tanto o racismo quanto a desigualdade racial e social são estruturais e que não vão acabar.

Logo depois, os apresentadores da live, Kemilly Cardoso e Glauco Zulo, iniciaram uma discussão sobre o assunto.

"Hoje no nosso Brasil, ainda assim, a gente tem uma grande parte da população que briga por isso (racismo)", afirmou a apresentadora, Kemilly Cardoso, que logo foi interrompida por Negão da BL: “Mas aí brigar e falar bonito é uma coisa, o ‘bagulho’ é a prática. Vocês vão falar ‘eu respeito’, mas vocês são dois brancos brigando com um preto”, disparou o MC.

A apresentadora afirmou, então, que era filha de um homem negro e foi novamente interrompida pelo funkeiro: "Você é filha de negro, mas é branca".

"Eu não sou branca", afirmou Kemilly.

"Ah, tá bom! Pelo amor de Deus, mano!", reagiu Negão da BL, se mostrando bastante irritado com a conversa. A mãe do MC, Gisele, que participava da live junto com o filho, também demonstrou incômodo com as falas dos apresentadores.

Nesta quinta-feira (27), MC Negão da BL gravou um vídeo. "Ontem (quarta-feira) teve uma live do Negão da BL e muita rapaziada querendo criar uma polêmica. Teve uns coisas ali, umas coisas aqui. [...] O amigo foi infeliz no que ele falou e hoje está tendo o resultado", disse Matheus, isentando a casa de show onde a live aconteceu.

Em suas redes sociais, Kemilly afirmou "Vou pela última vez falar sobre o assunto, eu falei no sentido de ter orgulho das minhas raízes! Eu não fui criada com nenhum tipo de preconceito, ele existe, mas não existe na minha vida sobre qualquer pessoa... Ainda assim, se você se sentiu ofendida me desculpe!", em resposta a uma seguidora que comentou sobre o assunto em uma das fotos da apresentadora.

Também nesta quinta-feira (27), Glauco Zulo, que apresentava a live junto com Kemilly, postou um vídeo em suas redes sociais em que pedia perdão pelo ocorrido.

"Era um bate-papo que tinha tudo para terminar tranquilo, até que veio uma pergunta relacionada a racismo e preconceito. Eu juro, não foi uma pergunta preconceituosa. Eu venho lhes pedir perdão porque esse é um assunto ao qual eu não vivo na pele, esse é um assunto ao qual eu não tenho lugar de fala", disse Glauco.

 Fonte: g1.globo.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.