LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

terça-feira, 18 de agosto de 2020

SAÚDE ALDEENSE REALIZA MAIS DE 4.000 ATENDIMENTOS DOMICILIARES DURANTE A PANDEMIA

 

Em tempos desafiadores para a saúde pública, a gestão aldeense vem buscando formas de prestar assistência ao usuário, sem descuidar das medidas preventivas e de combate ao coronavírus. Na contramão da maioria dos programas implementados no país, o programa “Melhor em Casa”, de São Pedro da Aldeia, ultrapassou os quatro mil atendimentos domiciliares durante a pandemia, registrando crescimento exponencial. Se o momento exige cuidados e maior permanência em casa, a equipe multiprofissional leva às casas diversos serviços em saúde, evitando a desassistência aos pacientes agudizados, que também compõem grupo de risco.

De acordo com Júnior Curcino, Diretor Municipal de Atenção Domiciliar, durante a pandemia os atendimentos em casa se tornaram ainda mais importantes e o trabalho ganhou mais respeito junto aos usuários. Minimizando os riscos, a equipe multiprofissional vem auxiliando os cuidadores na dispensação de insumos, além das visitas periódicas, inclusive, na manutenção dos cuidados aos doentes crônicos.

Para a secretária de Saúde, Francislene Casemiro, a quantidade de atendimentos realizados é uma conquista, mas manter a qualidade dos serviços em saúde é uma das prioridades da gestão.

 “A prevenção é a maior medida de assistência e cuidado com a nossa população. Em tempo de pandemia, fortalecemos a assistência domiciliar. Não ter prejuízo ou desassistência à população é o nosso principal objetivo”, relata a secretária.

LIVE SOBRE ATENÇÃO DOMICILIAR

Com a manutenção dos atendimentos frente à pandemia, o “Melhor em Casa” de São Pedro da Aldeia se destacou entre os outros programas do Brasil. Como resultado da alta na produção, o Diretor Júnior Curcino palestrou em uma live sobre o tema “Atenção Domiciliar na Pandemia”. Durante a transmissão, que foi transmitida pelos canais oficiais do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, mais de 500 gestores municipais dos programas interagiram sobre a temática e o representante de São Pedro da Aldeia falou sobre a realidade municipal.

 “A Diretora Nacional de Atenção Domiciliar, Mariana Borges, entrou em contato conosco para saber sobre a produção aldeense, que ao contrário da maioria dos programas, havia aumentado consideravelmente. Pude expor para ela todos os nossos cuidados e a forma responsável com a qual a Secretaria de Saúde de São Pedro da Aldeia estava lidando com a oferta de atenção domiciliar”, disse Júnior.

 

COMO SER ATENDIDO PELO “MELHOR EM CASA”

A equipe do “Melhor em Casa” atende pacientes com necessidades de cuidados de média e alta complexidades, modalidades AD2 e AD3. Caso o cuidador ou algum familiar identifique a necessidade de cuidado domiciliar, pode dar entrada em um requerimento na sede da Secretaria de Saúde, para avaliação do paciente. No ato do cadastramento, é necessário apresentar documento de identidade do paciente e de um cuidador responsável, além do cartão do SUS e laudo médico de incapacidade. Após o cadastro, a equipe do programa entra em contato para avaliação.

 

Durante as visitas domiciliares, os profissionais do “Melhor em Casa” também identificam, orientam e capacitam um ou mais cuidadores do usuário em atendimento, estimulando a participação ativa dos familiares no processo do cuidado e a ampliação da autonomia da família.

CONHEÇA O PROGRAMA

Criado pelo Governo Federal, o programa “Melhor em Casa” atende acamados e pessoas restritas ao leito, promove a desospitalização, quando possível, complementando os serviços oferecidos pela Atenção Básica, portas de urgência e emergência, entre outros segmentos da rede de saúde. Implementado em São Pedro da Aldeia em novembro de 2017, o município é o único a contar com esse serviço na Baixada Litorânea.

O serviço prestado pelo programa engloba uma equipe multiprofissional de atenção domiciliar, composta por médico, fisioterapeuta, enfermeiro, técnicos de enfermagem e uma equipe multiprofissional de apoio (EMAP), formada por nutricionista, assistente social e psicóloga.

 

0 comentários:

- |