Pular para o conteúdo principal

Comissão da Câmara cobra Santa Izabel sobre aplicação de repasse federal


Os vereadores da Comissão Especial de Saúde querem explicações do Hospital Santa Izabel sobre a aplicação de R$ 2,7 milhões em recursos destinados pelo Ministério da Saúde às santas casas e instituições filantrópicas, forma como a unidade cabofriense é listada. Para isso, um requerimento foi aprovado na sessão da Câmara desta terça-feira (16).

A ajuda federal totaliza R$ 2 bilhões a cerca de duas mil instituições de todo o país, para controlar o avanço da epidemia de Covid-19, conforme descreve a lei 13.995, editada em 5 de maio deste ano. O repasse ao Santa Izabel consta na Portaria 1.148 do Ministério da Saúde, publicada no último dia 29 de maio. 

Na sessão desta terça (16), o presidente da Câmara, Luis Geraldo (Republicanos) disse que a diretoria do hospital já discute com a Prefeitura de que forma a verba pode ser aplicada no combate ao novo coronavírus, mas alegou que não há obrigatoriedade de aplicação exclusiva da verba no tratamento de pacientes com Covid-19. 

No requerimento, os vereadores querem saber se o repasse já foi feito pelo Governo Federal; qual o plano para a aplicação dos recursos; se a verba será revertida em atendimentos, exames e internações de pacientes com Covid-19; e, por fim, se haverá leitos de terapia intensiva para os casos graves da doença. 

Segundo o artigo terceiro da lei, toda a verba deverá ser, “obrigatoriamente, aplicada na aquisição de medicamentos, de suprimentos, de insumos e de produtos hospitalares para o atendimento adequado à população, na aquisição de equipamentos e na realização de pequenas reformas e adaptações físicas para aumento da oferta de leitos de terapia intensiva, bem como no respaldo ao aumento de gastos que as entidades terão com a definição de protocolos assistenciais específicos para enfrentar a pandemia da Covid-19 e com a contratação e o pagamento dos profissionais de saúde necessários para atender à demanda adicional”. 

Na justificativa do requerimento, assinado por sete vereadores, a Comissão demonstra preocupação de que pacientes atendidos pelo SUS sejam beneficiados pelo repasse e atendidos na unidade.

“É necessário, então, e urgente, que sejam prestadas as informações para que a população saiba de que forma o auxílio recebido pelo hospital poderá beneficiá-los, haja vista que vídeos foram feitos e lançados nas redes sociais dando a informação que o hospital só presta atendimento, para covid-19, particular ou através de convênios”, diz o documento, em referência a vídeos feitos pela população e divulgados nas redes sociais, nos últimos dias.

À Folha dos Lagos, o provedor do Hospital, Marcelo Perelló, reforçou a fala do presidente da Câmara. De acordo com o médico, a verba será usada no hospital, que atende algumas especialidades pelo SUS, como forma de reduzir o impacto financeiro causado pela pandemia. 

Perelló comentou que a crise fez aumentar o preço de remédios e equipamentos. Além disso, ele disse que a instituição continuou a pagar os salários dos profissionais de enfermagem com mais de 60 anos que foram afastados e de seus substitutos. Por fim, o provedor afirma que o bom funcionamento do Santa Izabel é benéfico para os hospital da rede pública.

– Aqui em Cabo Frio, algumas pessoas entenderam essa lei como uma lei criada para que as instituições filantrópicas, no caso da nossa cidade, o Hospital Santa Izabel, dividam com o município a responsabilidade de atender a população em geral com relação à Covid-19. Não, mas o hospital realiza ação em oncologia, ortopedia, cardiologia e se a gente continuar cuidando bem desses pacientes, se o paciente de câncer continua sendo internado e atendido, não sobrecarrega a UPA, o São José Operário e o Regional de Araruama. Ele tira os pacientes dessas unidades e abre vagas para poder aumentar os leitos para combate à Covid-19 – explica.

O provedor do Santa Izabel também confirmou que está em conversas com a Secretaria de Saúde para discutir a melhor forma de ajudar, porém, destacou que a lei não impõe essa obrigação.

– A irmandade de Santa Izabel entende e sempre entendeu que tem um compromisso com a nossa cidade e, em função desse compromisso que a gente possui, que vai fazer 200 anos em 2027, a gente quer ajudar, mas porque nós queremos, porque a irmandade Santa Izabel compreende que é papel nosso. Porque, se não compreendesse dessa forma, poderia utilizar o dinheiro integralmente no hospital. Estamos em conversas com a Secretaria de Saúde para construir o melhor caminho para gente ajudar o município e a sociedade nesse momento – justificou.

Fonte: folhadoslagos.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.

COLUNA BANZO

  O LOBO EM PELE DE CHACAL!   “TSE defere candidatura e José Bonifácio tomará posse como Prefeito de Cabo Frio” “Em decisão monocrática o Ministro Alexandre de Moraes deferiu o recurso de José Bonifácio” Na sexta-feira (18/12) por volta das 18:00 horas as manchetes acima surpreenderam alguns incautos cabofrienses, e deixaram duas sérias indagações no ar: - O que motivou o Ministro Alexandre de Moraes, relator do processo, a evitar o julgamento pelo colegiado do Tribunal Superior Eleitoral? - A séria motivação impeditiva deixou de existir apenas duas horas depois de iniciado o “recesso” do tribunal?   Bem... o editorial do Blog Cartão Vermelho não possui todas as respostas, porém, cumprindo sua principal missão de trazer luz aos fatos, assinala agora a ação vil, perdulária e principalmente venal que acometeu a defesa do Sr. José Bonifácio.   Os advogados que patrocinaram a causa de Zezinho, fazem parte de uma bancada respeitadíssima nacionalmente, é uma das mais cara