Pular para o conteúdo principal

Servidores da Educação de Cabo Frio se negam a retornar às atividades


Os servidores municipais da Educação de Cabo Frio decidiram não retornar às atividades presenciais nas escolas. A categoria optou por decretar a chamada ‘greve pela vida’ em assembleia virtual realizada após a Secretaria de Educação enviar um memorado às equipes diretivas das escolas da rede municipal, abrindo a possibilidade de convocação de funcionários efetivos das áreas de serviços gerais, de apoio e administrativa para trabalho em sistema de rodízio, em caso de necessidade.

De acordo com o Sindicato dos Profissionais de Educação (Sepe Lagos), foi feita uma recomendação aos professores para que boicotem qualquer trabalho  remoto ou tentativa de implantação de atividades pedagógicas a distância ou presenciais, como forma de solidariedade aos auxiliares de serviços gerais (ASGs), porteiros, inspetores de alunos, agentes de secretaria e outros trabalhadores administrativos que forem convocados para voltar ao trabalho.

“Voltar ao trabalho agora, sem os profissionais contratados, significa necessariamente se expor ao risco de morte devido ao novo coronavírus. Mas para os docentes que continuam em casa, a implantação de atividades pedagógicas remotas também seria a imposição de uma sobrecarga de trabalho absurda, pois estes terão que absorver todas as demandas dos docentes que foram demitidos”, diz comunicado publicado pelo Sepe Lagos, nas suas redes.

O texto se refere à dispensa de três mil servidores contratados, entre professores e outros profissionais, pela Secretaria de Educação, no fim de abril. O fato, associado aos constantes atrasos e escalonamentos dos pagamentos dos salários e de outros direitos, além da possibilidade de convocação para volta ao trabalho, forma o caldeirão para um novo protesto, desta vez uma carreata, que será marcada para esta semana. Na assembleia, a categoria também decidiu que vai pedir uma reunião com o governo para tratar de todas essas questões e da convocação dos aprovados no concurso de 2009.

Na semana passada, o secretário municipal de Educação, Ian de Carvalho, descartou a possibilidade de retorno às aulas, mas sinalizou com a implantação de ensino à distância. Aliás, a secretaria anunciou que disponibilizará materiais didáticos on-line e impressos aos alunos. Segundo a pasta, os conteúdos estão em fase de elaboração e em planejamento estratégico para validação como carga horária. A previsão é de que as atividades comecem na segunda quinzena deste mês para os 31.953 estudantes da rede.

 – A equipe da Seme apostava na possibilidade do retorno presencial das aulas para o segundo semestre deste ano. Entretanto, a continuidade do contágio do coronavírus mostrou que essa ação seria inviável, junto com os vários estudos de órgãos competentes que alertam para o risco do retorno presencial dos alunos às escolas nesse momento da pandemia. Sendo assim, a pasta muda de estratégia a fim de diminuir os impactos trazidos pela Covid-19 na vida escolar dos alunos, de forma que possa atender aos estudantes da maneira mais igualitária possível – afirmou o secretário.

Com a decisão da categoria na assembleia, os planos da Secretaria de Educação ficam em xeque.



Fonte: folhadoslagos.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.