LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Editorial – Violência fora do controle em Cabo Frio



 

A praça de guerra que virou Cabo Frio nessa última semana é o reflexo de 30 anos de abandono na Segurança Pública da nossa Região dos Lagos.

Quem acompanha o Blog Cartão Vermelho está cansado de ler aqui que um único Batalhão da Polícia Militar para atender as cidades de Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, São Pedro, Iguaba Grande, Araruama e Saquarema, além dos distritos com tamanho de cidade, Tamoios, São Vicente, Morro Grande, Praia Seca e Bacaxá, é insuficiente, e por isso estamos abandonados a nossa própria sorte.

Ao total são 7 cidades e 5 distritos com tamanho de cidades, São Vicente é duas vezes maior que Iguaba Grande e Tamoios é três vezes maior que Iguaba Grande, ou seja, é humanamente o 25º Batalhão da Polícia Militar supri a necessidade mínima de nossa segurança.

O 25° BPMERJ foi fundado há 30 anos, em 10 de maio de 1984, nesses 30 anos a população quintuplicou, mas a segurança pública não, temos apenas o mesmo pequeno batalhão! 

A cada dia surge novas UPPs na capital e nós na Região dos Lagos estamos abandonados, aqui na Região são 600 habitantes para 1 policial militar, enquanto na Barra da Tijuca é 1 policial para cada 80 habitantes.

Se os Prefeitos da Região dos Lagos e o Deputado Jabuti não lutarem contra essa defasagem de 30 anos, seguiremos refém dessa situação completamente insustentável, é preciso urgente mais um Batalhão da PM, lembre-se, avisamos isso aqui há pelo menos 2 anos e até agora nenhum político se mobilizou por essa luta.

Em tempo: Parabéns a grande Repórter Renata Cristiane pelo show de profissionalismo na cobertura minuto a minuto daquele cenário de guerra civil, é preciso coragem, vontade e determinação para realizar a perfeição de trabalho que você teve.

Em tempo (2): Parabéns a Salineira pelo posicionamento sensato, e pela ajuda humanitária e sem nenhuma obrigação a uma das vítimas daquela praça de guerra.

0 comentários:

- |