Pular para o conteúdo principal

Revisão da minuta do Plano Diretor entra na etapa final


Com obrigatoriedade de reavaliação a cada dez anos, Cabo Frio inicia esta semana a etapa final de revisão do Plano Diretor (PD). Até 16 de junho, população e entidades civis podem contribuir com a segunda revisão da minuta do PD, que é uma compilação de todo o trabalho realizado pela Prefeitura de Cabo Frio, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade, desde setembro de 2019 até o momento.
Os interessados em participar devem enviar sugestões de três formas: pelo e-mail planodiretor@cabofrio.rj.gov.br; pelo site oficial http://cabofrio.rj.gov.br ou por vídeo selfie para o Whatsapp 22 98161.2964. Para acessar os documentos apresentados nos encontros realizados durante o período de discussões basta acessar o link http://cabofrio.rj.gov.br/plano-diretor/ e clicar na aba Minutas de Projeto de Lei/Minuta versão 02.
De acordo com o coordenador-geral de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Rafael Trindade, a etapa final acontece após a realização 3ª audiência pública, no início de março, onde foi apresentada aos participantes a primeira minuta com as sugestões e propostas que foram enviadas por email e também presencialmente pela população.
“Durante todo o processo de discussões do plano diretor a população tem participado e, neste momento, é tão fundamental quanto antes que as contribuições sejam realizadas para que possamos concluir da forma mais abrangente e participativa possível a minuta do projeto de lei”, convocou Trindade.
Segundo ele, a colaboração da população é importante porque o plano é um instrumento que vai orientar a forma como Cabo Frio vai ser ordenada. O objetivo é oferecer diretrizes de crescimento para médio e longo prazo que abranjam os aspectos necessários ao desenvolvimento inteligente do município.
Revisão do Plano Diretor contou com várias etapas
Desde setembro de 2019, as equipes da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade têm realizado diversas atividades a fim de discutir com vários segmentos sociais a revisão do Plano Diretor, conforme determina o Estatuto da Cidade, lei federal nº 10.257/01, e a Constituição. As discussões iniciaram com reuniões de mobilização para esclarecer o que é o plano e para que ele serve.
Assim, foram realizados encontros com o Poder Executivo e Legislativo, com a imprensa, com a população e com segmentos da área urbana e rural de Cabo Frio, bem como na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do município que debateram sobre a importância da construção conjunta de um documento que vai nortear o desenvolvimento de Cabo Frio pelos próximos 10 anos.
Após essa etapa, foi a vez de as leituras comunitárias, na primeira semana de outubro de 2019, acontecerem pela cidade. Nesta fase, a Secretaria de Desenvolvimento da Cidade ordenou os debates em cinco grandes regiões: Tamoios, com dois encontros, (área urbana e rural), incluindo uma audiência pública; Peró (Gamboa, Ogiva, Jacaré até o condomínio Caravelas do Peró); Jardim Esperança; São Cristóvão e Centro. Ainda em outubro também foram realizadas as oficinas temáticas nas principais praças do município.
No final do ano passado foi realizada a 2ª audiência pública, que apresentou a conclusão da fase anterior (início das discussões, das leituras temáticas, da cronologia, da metodologia das etapas seguintes), bem como mostrar mapas anexos às leis, diretrizes temáticas e setoriais para a elaboração de Projeto de Lei.
Sobre o Plano Diretor
O Plano Diretor é um instrumento de desenvolvimento do município nos seus aspectos econômico, físico e social para promover a ordenação dos espaços habitáveis com a implantação de políticas, normas e planos de utilização territorial da cidade. A última lei complementar inserida no Plano Diretor Municipal foi em 2006, por isso a revisão é necessária, envolvendo ainda, além da população, entidades não governamentais ligadas aos setores de arquitetura, comércio e turismo, entre outros.
O plano é formulado pela superintendência que está vinculada à Coordenadoria-Geral de Planejamento e Desenvolvimento, órgão da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade. As leis que norteiam a elaboração do documento incluem código de obras, zoneamento, parcelamento de solo, limites do município e abairramento (divisão de bairros). A meta é de que este ano o governo municipal remeta à Câmara o projeto de lei para instituição do plano, bem como suas leis complementares.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.