LEAL PORTO TELECOM

LEAL PORTO TELECOM

RESTAURANTE DA PONTE

RESTAURANTE DA PONTE
"O lugar certo de comer peixe" - Em cima do Mercado Municipal do Peixe (22) 2644-4080 // 99999-5998

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Australiano é detido em São Pedro da Aldeia, RJ, acusado de sequestrar filho na Argentina; Procuradoria pede apuração da PF

 

Um australiano de 42 anos foi detido pela Polícia Militar em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio, no último domingo (6), após não saber informar o endereço e localização da criança que estava com ele. Mark Edward Mills, de 42 anos, é acusado pela ex-mulher de ter sequestrado o filho, de 4 anos, que vivia com ela em Buenos Aires, na Argentina.

Na noite da última terça-feira (8), a Procuradoria da República em São Pedro da Aldeia emitiu um pedido à delegacia da Polícia Federal, em Macaé, para que apure o caso.

De acordo com a Polícia Militar, os agentes abordaram Mark, que estava acompanhado da criança, ao perceberem atitude suspeita. Ele foi detido e levado para a 125ª DP da cidade após não responder as indagações dos agentes sobre onde morava a mãe do menino.

No documento, a Procuradoria explica que pediu uma mobilização por parte da PF por não ter tido conhecimento de uma cooperação jurídica internacional entre as autoridades argentinas e brasileiras sobre o caso.

Para o Ministério Público Federal (MPF), é preciso colher depoimento de Mark Mills, para esclarecer os fatos e avaliar a adoção de medidas que impeçam uma possível saída do australiano do país.

Se condenado, a pena pode ser de dois meses a dois anos de detenção.

De acordo com o jornal argentino "La Nación", a mãe não sabia o paradeiro do menino e do ex-marido desde o dia 25 de agosto, quando o pai levou a criança após uma visita.

O G1 tenta contato com a defesa de Mark Edward Mills.

Sem mandado internacional

De acordo com a Polícia Civil de São Pedro da Aldeia, por não haver nenhum mandado internacional contra Mark Mills e nem flagrante que justificasse a prisão, o australiano foi liberado, mas saiu da delegacia se comprometendo a comparecer na sede da PF para regularização do visto.

De acordo com a Polícia Federal, Mark não se apresentou à PF na terça-feira (8).

"No momento, o estrangeiro encontra-se com visto de turismo válido. Mas, caso haja uma sentença judicial condenatória em seu desfavor por “sequestro parental” por parte da justiça Argentina, este pode vir a ser extradito. Ou caso, permaneça no Brasil de forma irregular este pode vir a ser deportado", afirmou a Polícia Federal.

O G1 entrou em contato com a Polícia Federal para saber se Mark Mills se apresentou nesta quarta-feira (9) e se a PF recebeu o pedido da Procuradoria, e aguarda posicionamento.

De acordo com o MPF, a criança está em um abrigo em São Pedro da Aldeia. A mãe do menino deve chegar ao Brasil nesta quinta-feira (10).

Entenda o caso

De acordo com o jornal "La Nación", Mark Mills não morava em Buenos Aires, mas no dia 25 de agosto disse a ex-mulher que estava há uma semana na Argentina e que queria ver o filho. Depois de entregar o filho a ele no bairro de Palermo, o homem desapareceu com o menino sem dar mais detalhes.

Ainda segundo o jornal, a mãe do menino não perdeu totalmente o contato com o ex-companheiro durante o desaparecimento da criança porque ele realizou algumas videochamadas nas quais mostrava que estava com o filho.

Mark chegou a avisar que havia deixado o país ilegalmente por meio de uma mensagem de áudio dois dias depois do desaparecimento, quando a mãe já havia registrado o caso no Juizado local.

A principal suspeita era de que ele havia fugido para o México, onde Mark e a ex-mulher viveram antes de se separarem.

Para que a mulher pudesse voltar a encontrar a criança, o australiano exigiu que fosse providenciado um documento entregando a guarda do menino, segundo o jornal argentino.

Fonte: g1.globo.com

0 comentários:

- |