Pular para o conteúdo principal

Festa de aniversário clandestina reúne mais de 300 jovens em condomínio em Cabo Frio, no RJ; 'adolescente tem muito anticorpo'

Festa de aniversário clandestina reúne mais de 300 jovens em condomínio em Cabo Frio, no RJ — Foto: Reprodução/Inter TV

 

 

Uma festa de aniversário em um condomínio de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, desrespeitou uma série de regras de distanciamento social estabelecidas devido à pandemia da Covid-19 no último domingo (6). O evento teve a presença de mais de 300 jovens e adolescentes que, além de promoverem aglomeração e não usarem máscara, consumiam bebida alcoólica.

Em uma rede social, uma das jovens participantes minimizou os riscos da aglomeração resultar em contaminações pelo novo coronavírus.

"Existe essa possibilidade, mas a gente tava ali, na festa do garoto. O vírus pode passar pra outras pessoas da nossa idade. E, mano, eu duvido muito que alguém da nossa idade tenha pego, tá ligado? Porque, tipo, adolescentes têm 'muito' anticorpos, cara".

A festa era para comemorar os 16 anos do jovem apontado como o organizador do evento. De acordo com o adolescente, a festa seria para 30 pessoas, no entanto, a lista de convidados tinha mais de 270 e, na festa, apareceram mais de 380 pessoas. Mas o adolescente afirma que muitas dessas pessoas ele nem conhecia.

 

Após a ligação da produção da Inter TV, na manhã desta segunda-feira (8), o organizador da festa comemorou a "oportunidade" de aparecer na TV.

"O homem do RJTV acabou de me li... Inter TV acabou de me ligar aqui, e eu dei todas as informações pra ele, e a gente vai pra TV galera!", afirmou, com euforia.

Durante a festa, uma moradora que passeava com o cachorro próximo ao local do evento e reclamou da aglomeração chegou a ser agredida e teve o celular arremessado ao chão por um dos convidados.

"Estou muito abalada. Nunca tinha passado por isso na vida. Vou adotar as medidas cabíveis contra os envolvidos", afirmou a moradora, que não quis se identificar.

A mãe do adolescente apontado como o organizador da festa disse que não imaginava que a festa teria tantos participantes e que tentou bloquear a entrada do condomínio para impedir que mais pessoas entrassem.

Em nota, o condomínio onde o evento aconteceu afirmou que repudia qualquer tipo de agressão, e que já orientou a vítima a fazer o registro da ocorrência. O condomínio disse, ainda, que vai colaborar com as autoridades sobre o caso.

Sobre o espaço para eventos, o condomínio disse na nota que ele está aberto com autorização de decretos municipais, mas que vai notificar os responsáveis pela reserva da área de festa.

O G1 aguarda o posicionamento do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e do Conselho Tutelar de Cabo Frio.

Covid-19 em Cabo Frio

De acordo com o último boletim epidemiológico municipal, divulgado nesta terça-feira (8), Cabo Frio tem 2.385 casos confirmados da Covid-19, com 129 óbitos causados pela doença.

Ainda segundo o levantamento, dos 19 leitos de UTI destinados a pacientes com a doença, 12 estão ocupados. Um taxa de 63,2% de ocupação. Já dos 44 leitos de enfermaria, 5 estão ocupados, o que representa uma taxa de 11,4% de ocupação.

Atualmente, Cabo Frio está em zona laranja, que é o segundo nível mais elevado de restrições devido à Covid-19. Por isso, diversas atividades seguem proibidas, como: a realização de eventos e atividades com a presença de público, que envolvem aglomeração de pessoas.

De acordo com decreto municipal do dia 30 de julho, na zona laranja casas de festas podem retomar as atividades, mas devem seguir uma série de regras como: a capacidade de público reduzida em 50% por área coberta, de acordo com a estrutura de cada espaço de evento, seja ele salão de festas ou restaurante, respeitando o número máximo de 100 pessoas.

 Fonte: g1.globo.com

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.