Pular para o conteúdo principal

Empresários entregam plano para reabertura de hotéis em Cabo Frio




Empresários do setor hoteleiro de Cabo Frio apresentaram nesta quinta-feira (28) um plano para reabertura dos meios de hospedagem no município. Um estudo técnico de viabilidade foi protocolado junto à Prefeitura, à Câmara Municipal e, por e-mail, ao Ministério Público Estadual (MP-RJ). Os empresários pretendem debater o plano durante uma reunião com integrantes do governo municipal, de representantes do comércio e membros do Ministério Público, que estava marcada para esta quinta, mas foi adiada para a próxima terça (2), em local e horário a serem definidos.

No documento, o grupo ‘SOS Hotéis de Cabo Frio’, formado por mais de 100 empresários, proprietários e administradores de meios de hospedagem aponta as dificuldades financeiras do setor, que tem as atividades paralisadas desde 20 de março, por força de um decreto municipal para prevenção ao contágio pelo novo coronavírus. Os hoteleiros alegam que a dificuldade de acesso às linhas de crédito oficiais e a impossibilidade de contrair empréstimos junto aos bancos privados os levam a pedir autorização de funcionamento com 50% da carga dos meios de hospedagem, bem como a reabertura das praias e dos pontos turísticos. Pelo plano, as barreiras sanitárias nos acessos ao município barrariam apenas as pessoas que apresentem quadro de febre acima de 38 graus.

O plano também estabelece novos protocolos sanitários e de segurança para hóspedes, funcionários, recepcionistas e camareiras. Os hoteleiros propõem diversas ações, como a disponibilidade de álcool gel em todas as áreas comuns, como recepção e salões; a proibição de uso de saunas, academias restaurantes e locais fechados;  a marcação no piso da recepção com a distância de um metro entre as pessoas; serviço de refeição apenas nos quartos; distribuição de equipamentos de proteção para os funcionários; entre outras medidas. 

O presidente da Associação de Hotéis e Restaurantes, Carlos Cunha, afirmou que o plano de retomada foi elaborado pelos próprios hoteleiros, baseado nos números de casos e mortes divulgados pelas secretarias municipal e estadual de Saúde e nos critérios adotados pelo Governo do Estado para a flexibilização nas atividades econômicas. O estudo de viabilidade aponta que, no caso de Cabo Frio, a evolução da doença permite a normalização das atividades, denominada como ‘bandeira verde’, dentro de protocolos de segurança sanitária. 

Carlos Cunha afirmou que não foi ouvido um profissional da área de Saúde para elaboração do plano, porque o documento foi baseado em estatísticas oficiais das autoridades sobre os números de casos e de mortes. 

– Se você reparar, nesse estudo de viabilidade, colocamos todos os boletins oficiais da Prefeitura e fizemos um gráfico baseado nos números informados pela Prefeitura. E para os protocolos, a gente tomou como base todos aqueles que estão sendo utilizados no Brasil inteiro. Inclusive, os protocolos do estado, do Sebrae e da Prefeitura de Cabo Frio são mais flexíveis que o nosso. O nosso é ate mais rígido. Então, tomamos todos esse cuidados, com olhar daquele que entende do funcionamento do hotel. Mão adianta fazer um protocolo extremamente técnico na área sanitária, que não vai funcionar e que foge da realidade do funcionamento no dia da dia de um hotel. Nosso protocolo é perfeitamente viável – defende o empresário.

A pressão dos hoteleiros se junta à dos comerciantes, que se reuniram com o prefeito Adriano Moreno (DEM) na última segunda-feira (25) e chegaram a marcar um protesto para o dia seguinte, cancelado após uma recomendação do Ministério Público contra aglomerações. Desde então, representantes do segmento tentam a marcação de uma reunião com o MP, enquanto a Associação Comercial e Industrial (Acia) elabora um plano de reabertura próprio para o setor.


Fonte: folhadoslagos.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

  O LOBO EM PELE DE CHACAL!   “TSE defere candidatura e José Bonifácio tomará posse como Prefeito de Cabo Frio” “Em decisão monocrática o Ministro Alexandre de Moraes deferiu o recurso de José Bonifácio” Na sexta-feira (18/12) por volta das 18:00 horas as manchetes acima surpreenderam alguns incautos cabofrienses, e deixaram duas sérias indagações no ar: - O que motivou o Ministro Alexandre de Moraes, relator do processo, a evitar o julgamento pelo colegiado do Tribunal Superior Eleitoral? - A séria motivação impeditiva deixou de existir apenas duas horas depois de iniciado o “recesso” do tribunal?   Bem... o editorial do Blog Cartão Vermelho não possui todas as respostas, porém, cumprindo sua principal missão de trazer luz aos fatos, assinala agora a ação vil, perdulária e principalmente venal que acometeu a defesa do Sr. José Bonifácio.   Os advogados que patrocinaram a causa de Zezinho, fazem parte de uma bancada respeitadíssima nacionalmente, é uma das mais cara

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.