Pular para o conteúdo principal

UNIDADES DE SAÚDE ALDEENSES REFORÇAM ATENDIMENTO MÉDICO PREVENTIVO


 

Há anos o aldeense Fábio Azevedo luta para controlar a pressão alta, doença que, sem tratamento, pode trazer inúmeras complicações ao coração, cérebro e rins, além de ser um dos fatores de risco para a Covid-19. Na última semana, ele foi um dos 23 pacientes pré-agendados e atendidos pela unidade básica de saúde do Centro/Mossoró. “Cheguei aqui e minha pressão deu quase 20, mas a partir de agora estou entrando com novos medicamentos receitados pelo médico, uma bateria enorme de exames para fazer e encaminhamento a um cardiologista. Ter esse atendimento médico mais perto está sendo muito importante para mim, principalmente porque sou grupo de risco”, conta.

Assim como Fábio, dezenas de moradores têm à disposição atendimento médico e de enfermagem no posto de saúde do Centro/Mossoró. Mesmo com a rotina alterada e a adoção de uma série de medidas preventivas devido à atual pandemia, a unidade manteve a maioria dos serviços essenciais à população. “Um clínico geral, que é do grupo de risco, está focado na teleconsulta e o outro está realizando atendimento presencial. Procuramos sempre direcionar os pacientes de acordo com a necessidade individual de cada um. Dentro da unidade estamos sempre atentos ao uso de máscara, higienização das mãos e das superfícies”, explica o enfermeiro responsável pela UBS, Renan Araújo.

FOCO COMUNITÁRIO

Inseridas no Sistema Único de Saúde (SUS), as unidades de atenção básica são responsáveis por prestar o primeiro atendimento à comunidade do seu entorno, acompanhando o estado de saúde dos moradores, bem como o controle de riscos, agravos e doenças – muitas delas crônicas e consideradas agravantes dos sintomas de Covid-19, como a hipertensão e a diabetes, as chamadas comorbidades. 

Segundo a secretária de saúde, Francislene Casemiro, o controle social da saúde viabilizado pelas unidades básicas de saúde e pelas unidades de saúde da família permite reduzir a pressão sobre as unidades de emergência, evitar internações e melhorar a vigilância durante a pandemia. “O atendimento que essas unidades prestam aos pacientes portadores de doenças crônicas é no sentido de prevenir e promover a saúde, evitando que o estado clínico desses cidadãos se agrave e para que eles não precisem procurar as portas de emergência por questões básicas. Nesse momento de coronavírus, é primordial manter esse tipo de assistência. O acompanhamento desses pacientes com comorbidades é feito com a telemedicina, ou seja, atendimento médico por telefone”, afirma.

Somente na UBS Centro/Mossoró, atualmente são realizados aproximadamente 50 atendimentos médicos por semana, somados aos cerca de 40 atendimentos de enfermagem semanais. “Além disso, fazemos o atendimento por demanda espontânea, como aferição de pressão arterial, curativos, retiradas de pontos, entre outros”, relata Renan.

Além das consultas médicas de clínica geral, a unidade também oferece serviços como preventivo, atendimentos a pacientes com hipertensão/diabetes, puericultura, vacinação, planejamento familiar e pré-natal de baixo risco, com encaminhamento ao PAISMCA sempre que necessário. “É muito importante que os pacientes não deixem de buscar o atendimento necessário para outras doenças mesmo durante a pandemia e a equipe da UBS busca facilitar esse atendimento na medida do possível”, complementa o enfermeiro.

INVESTIMENTO EM SAÚDE

A UBS Centro/Mossoró é uma das dez unidades básicas de saúde (UBS) implantadas no território aldeense, que se somam a outras 14 unidades de saúde da família (USF), com equipes multiprofissionais formadas por médico, enfermeiro, auxiliar ou técnico de enfermagem e agente comunitário de saúde.

De 2013 a 2020, o governo municipal já inaugurou sete novas unidades de saúde, construídas nos bairros Porto da Aldeia, Porto do Carro, Flexeira, Parque Arruda, Campo Redondo, Recanto do Sol e Centro, além da entrega de duas reformas dos postos de saúde do Vinhateiro e Praia Linda. Outras duas unidades seguem em fase de construção, na Rua do Fogo e Baleia, as duas maiores do município, ambas com mais de 300m² de área construída.

Antes da inauguração da UBS Centro/Mossoró, em 2017, a aposentada Zilda Ramos precisava se deslocar até a unidade básica de saúde do Poço Fundo para ser atendida. “Eu moro no Centro, tenho problema de artrite e artrose e preciso sempre estar acompanhando e cuidando. Ter esse posto de saúde mais perto foi a melhor coisa. A gente precisava muito”, disse.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informa que, na manhã desta terça-feira (24/11), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu agentes da Polícia Federal (PF) e Controladoria-Geral da União (CGU) para inspecionar documentos e solicitar informações sobre uma empresa específica, que era alvo de investigação. Com tranquilidade, todos os documentos solicitados, que já tinham sido encontrados pelos agentes no Portal da Transparência do município, foram novamente apresentados. A empresa inspecionada participou do Pregão Presencial n° 004/2020, de 28/02/2020, que contou com a participação de 19 empresas, das quais, 13 venceram. Uma das vencedoras é alvo dessa investigação, com ata de registro de preço firmada no valor de R$ 115.237,00 para entrega de medicamentos. A Prefeitura esclarece que, ao contrário do que tem sido veiculado, a operação tem como alvo a empresa licitante, como desdobramento de outra investigação dos órgãos na região Norte Fluminense, e que não há indícios de fraude na licit

COLUNA BANZO

 O ESTADISTA A de história de Cabo Frio  marcada por grandes embates políticos, desde os primórdios tempos Liras e Jagunços davam o tom beligerante que forjaria a história de nossa terra amada. Essa cultura pelo contraditório e pela polarização causaram eisentraves políticos etu atrasaram em muito o desenvolvimento de Cabo Frio, que foi salva pela sua vocação turística e pelos royalties do petróleo. Testemunhei no fim do século passado, mais precisamente no fim dos anos 90, inesquecíveis embates políticos-filosóficos entre os então vereadores Jânio de Mendes e Amaury Valério. Esses embates recebiam "a partes" dos saudosos Acyr Rocha e Ayrres Bessa, e eram testemunhados e por muitas vezes corroborados por Antônio Carlos Trindade e Silas Bento. O nível dos embates eram altíssimos e caminhávamos para a formação de "Estadistas", políticos que despontaríam Estadual e Nacionalmente, potencializando o nome de Cabo Frio. Infelizmente isto não se repetiu nas legislaturas sub

Lei Aldir Blanc

Nesta segunda-feira (30), no Espaço Cultural Zanine, começou a entrega dos documentos exigidos e de assinaturas para os artistas habilitados para Lei Aldir Blanc, conforme publicado no Boletim Oficial nº 1.140, dos dias 26 de novembro a 27 de novembro de 2020. Esta etapa acontecerá de segunda a quarta-feira das 9h às 16h. Os artistas que tiverem suas inscrições não habilitadas poderão apresentar o recurso na mesma data e local. Após a quarta-feira (02/12), o Grupo Gestor da Lei Aldir Blanc fará a análise dos documentos e sairá a homologação para o recebimento do recurso destinado ao Inciso 2 da Lei nº 14.017, mais conhecida como Lei Aldir Blanc. Esta lei prevê auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa busca apoiar profissionais da área que sofreram com os impactos das medidas de distanciamento social por causa da COVID-19. A legislação ficou conhecida como Lei Aldir Blanc, em homenagem ao escritor e compósitos que morreu em maio, vitima do novo coronavírus.